Rio Madeira: Aníbal e Viana articulam solução

:: Da redação30 de agosto de 2011 21:47

Rio Madeira: Aníbal e Viana articulam solução

:: Da redação30 de agosto de 2011

Nos próximos dias, a Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) deverá tomar atitudes para evitar o colapso no abastecimento do Acre, devido à dificuldade de travessia do Rio Madeira no trecho da BR 364 que liga Rio Branco (AC) a Porto Velho (RO). A seca do Rio Madeira já ameaça o Acre de desabastecimento de combustíveis e outros itens de primeira necessidade.

Por iniciativa dos senadores Aníbal Diniz (PT-AC) e Jorge Viana (PT-AC), o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, recebeu nesta terça-feira os dois senadores e, em seguida, determinou ao diretor-geral da Antaq, Fernando Fialho, que envie ao Acre uma equipe para avaliar a situação e fazer uma vistoria da eficiência do serviço de balsas.

Aníbal Diniz e Jorge Viana destacaram que a situação no Acre é preocupante e defenderam que é urgente rever a operação da única concessionária do serviço de travessia que existe naquela área. A intenção é evitar as enormes filas que já se formam no local, garantir o fluxo de transporte e a chegada de produtos à população.

Para isso, afirmou o senador Aníbal Diniz, a solução seria exigir que a concessionária aumente a freqüência e o número de balsas, ou permitir a operação de novas empresas para concorrer com a empresa. “As balsas hoje não conseguem suprir a necessidade do transporte e a população é penalizada. O serviço da travessia é precário e muito caro. É preciso um ajuste para termos mais balsas ou outra empresa para fazer a concorrência”, disse Aníbal Diniz.

O senador também afirmou que a situação na região é grave e corre o risco de piorar se o nível das águas do Rio Madeira baixarem ainda mais e não forem tomadas medidas pelo governo federal. “A população sente e cobra resultados”, alertou.

Os valores cobrados pela travessia dos cerca de 800 metros do Rio Madeira são altos, superiores aos de pedágios de rodovias no Sul ou Sudeste. Uma carreta carregada pode pagar, por exemplo, R$130 pelo transporte. Os pedestres, R$ 1,20. Para atravessar uma Kombi, o valor é de cerca de R$ 17. “Seguramente é o pedágio mais caro do Brasil e nós precisamos de uma solução para esse problema”, disse Aníbal Diniz.

Ponte – O ministro dos Transportes e os senadores também discutiram a necessidade de acelerar a realização da licitação para construir a ponte sobre o Rio Madeira, um processo que se arrasta por mais de dez anos. “São feitas licitações, licitações são tornadas públicas, depois há recursos daqui e dali e impedimentos para que essa ponte sobre o Rio Madeira aconteça”, afirmou Aníbal Diniz.

“No entanto, essa ponte é fundamental para as populações do Acre e de Rondônia. Agora estamos no período mais seco, quando o nível das águas nos rios baixa completamente, e vamos nos deparar com filas quilométricas de carros, caminhões e carretas para fazer a travessia do Madeira. Temos de dar uma resposta imediata a esse problema recorrente na região. E a solução definitiva passa pela construção da ponte”, defendeu.

Assessoria de Imprensa do senador Aníbal Diniz

Fonte: Assessoria de Imprensa da Liderança do PT no Senado

Leia também