Safra de grãos deve atingir recorde de 185 milhões de toneladas

Produtividade por hectare deve ser a maior já registrada. Na pecuária, enquanto as áreas de pastagens diminuíram 8%, o efetivo de bovinos dobrou.

:: Da redação7 de fevereiro de 2013 14:48

Safra de grãos deve atingir recorde de 185 milhões de toneladas

:: Da redação7 de fevereiro de 2013

 

A produtividade deve ser a maior já
registrada na história, de 3,5 toneladas
por hectare

A produção brasileira de grãos na safra 2012/13 deve ser de 185 milhões de toneladas, segundo previsão anunciada, nesta quinta-feira (07), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Medidas do Governo Federal como o aumento da concessão de crédito para o setor e a redução das taxas de juros impactaram diretamente nesse resultado. “Os resultados colhidos não são surpreendentes. Não se espera outra coisa de um setor acostumado a superar seus próprios limites”, afirmou o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho.

Em encontro, ocorrido nesta semana, com agricultores familiares de assentamentos rurais a presidenta Dilma Rousseff ao comemorar o desempenho do setor anunciou que os recursos para a safra 2013/2014 serão ainda maiores e que as taxa de juros serão ainda menores. O mesmo ocorrerá para a agricultura familiar, por meio Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), ponto considerado fundamental pelo Partido dos Trabalhadores, responsável por 87% da produção nacional, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Se confirmado, este valor será 11,3% superior ao da safra anterior, de 166,17 milhões de toneladas. O percentual representa a maior alta de uma temporada para a outra desde a elevação de 27,2% da safra 2001/02 (96,799 milhões de toneladas) para a de 2002/03 (123,168 milhões de toneladas).

A soja será o principal produto em volume, com crescimento previsto de 25,7% e produção estimada em 83,42 milhões de toneladas. Outro destaque deve ser o milho 2ª safra, que também apresentou aumento de 4,6%, passando de 39,1 para 40,9 milhões de toneladas. Se confirmada, essa será a maior safra da cultura, superando a produção do milho 1ª safra – estimada em 35,1 milhões de toneladas.

Área
As culturas de soja e milho também apresentaram os maiores crescimentos em relação à área plantada. No caso da soja, o aumento foi de 10,4%, passando de 25 milhões para 27,6 milhões de hectares. Já o milho 2ª safra teve uma ampliação de área de 8,5%, passando de 7,6 para 8,3 milhões de hectares. Outras culturas também devem ter acréscimos em relação à área, como o amendoim 1ª safra, aveia, canola, cevada e triticale.

Como a área total prevista é de 52,98 milhões de hectares, a produtividade deve ser a maior já registrada na história, de 3,5 toneladas por hectare. Os estudos para o levantamento da safra foram realizados no período de 21 a 26 de janeiro. Mais de 60 técnicos da Conab estiveram

sr8ju77acuo9ijda

   O efetivo de bovinos dobrou enquanto a área
   de pastagem diminuiu 8%

em campo para atualizar as informações de área, produção e comportamento climático nos estados da região Centro-Sul, em Rondônia e Tocantins, e ainda no oeste da Bahia, sul do Piauí e Maranhão.

Pecuária reduz área e dobra produção em 36 anos
As áreas de pastagens brasileiras diminuíram 8% entre 1975 e 2011, período em que o efetivo de bovinos dobrou, passando de 102,5 milhões para 204 milhões de cabeças. Os dados são da Assessoria de Gestão Estratégica do Mapa, a partir da análise de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 1975 a área de pastagens naturais e plantadas era de 165,6 milhões de hectares. Em 2011 esse valor caiu para aproximadamente 152 milhões, segundo estimativa do Mapa.

O resultado auxiliou no aumento da produtividade agropecuária brasileira entre 2001 e 2009 de 4,04% – uma das mais altas do mundo junto com a China.

Entre os fatores que explicam o crescimento produtivo nacional nos últimos anos estão os investimentos em rodovias, pesquisas, telecomunicações, irrigação e energia elétrica. Além destes, o aumento do crédito agrícola disponibilizado pelo Governo Federal e das exportações agropecuárias.

Com informações da Assessoria de Imprensa do Mapa

Leia também