Senado aprova criação da Comenda Abdias Nascimento

:: Da redação20 de novembro de 2013 21:26

Senado aprova criação da Comenda Abdias Nascimento

:: Da redação20 de novembro de 2013

A homenagem é aos cidadãos que contribuem para a proteção e promoção da cultura afro-brasileira.

 

Abdias Nascimento, que morreu em 2011, aos
97 anos, é uma referência no Brasil quando se
trata de igualdade racial (Agência Senado)

O Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira (20), a criação da Comenda Senador Abdias Nascimento para homenagear cidadãos que contribuem para a proteção e promoção da cultura afro-brasileira. A distinção é resultado do Projeto de Resolução (PRS 45/2011) apresentado pelos senadores Lídice da Mata (PSB-BA) e Paulo Paim (PT-RS).

A comenda será entregue, anualmente, a cinco pessoas, em sessão especial do Senado a ser realizada em novembro, mês em que é celebrado o Dia da Consciência Negra.

As indicações dos agraciados poderão ser feitas por senadores, deputados federais e entidades que desenvolvam atividades relacionadas à cultura negra. Caberá a um conselho composto por um representante de cada um dos partidos políticos com assento no Senado escolher os vencedores.

O senador Paulo Paim parabenizou o Senado pela decisão, registrando ainda que o projeto foi aprovado em 20 de novembro, data da morte de Zumbi dos Palmares, que lutou contra a escravidão.

A taxa de homicídios de negros no País é de 36 para cada 100 mil pessoas, enquanto que para os não-negros é de 15,2 para o mesmo grupo. Os dados são da pesquisa Vidas Perdidas e Racismo no Brasil, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Abdias Nascimento
O jornalista e ex-senador, Abdias Nascimento, que morreu em 2011, aos 97 anos, é uma referência no Brasil quando se trata de igualdade racial. Em 1948, junto com amigos, fundou o jornal O Quilombo, que deu voz a grupos sociais alijados da grande mídia.

Com a edição do Ato Institucional Nº 5, em 1968, Abdias Nascimento foi para o exílio e ficou 13 anos longe do Brasil. Abdias Nascimento foi senador pelo estado do Rio de Janeiro  entre  1997 a 1999. Assumiu a cadeira no Senado após a morte de Darcy Ribeiro, em fevereiro de 1997.

Com informações da Agência Senado

Leia mais:

Consciência Negra: data marca a luta do preto por igualdade de condições

Leia também