Senado lança programa para promover igualdade de raça e gênero

Marta Suplicy destaca importância da ocupação dos espaços de poder pelas mulheres, lembrando que os exemplos pioneiros despertam o interesse das novas gerações.

:: Da redação8 de março de 2012 13:10

Senado lança programa para promover igualdade de raça e gênero

:: Da redação8 de março de 2012

A partir desta semana, o Senado conta com um Programa Pró-Equidade de Gênero e de Raça, com o objetivo de analisar a estrutura funcional da Casa, corrigir possíveis entraves e promover mudanças administrativas que levem ao aumento da inclusão. O programa foi idealizado pela senadora Marta Suplicy (PT-SP), vice-presidente do senado, e aprovado pela Mesa Diretora, acompanhando a iniciativa do Executivo, lançada pela Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM).

A cerimônia de lançamento contou com as presenças das ministras Eleonora Menicucci, da SPM, e Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). Na ocasião, Marta Suplicy destacou a importância das políticas de igualdade de gênero para o desenvolvimento, citando um estudo do Banco Mundial, segundo o qual a inserção da força de trabalho feminina pode aumentar em até 25% a produtividade de um país.

Ela também enfatizou a importância da ocupação dos espaços de poder pelas mulheres, lembrando que os exemplos pioneiros despertam o interesse das novas gerações. Para Marta, o fato de o Brasil ter hoje Dilma Rousseff na presidência abre caminho para ampliar a participação das mulheres nos três poderes. “Hoje as meninas vão olhar na televisão e ver não um chefe da Nação, é uma chefe da Nação. E isso é um modelo fantástico, que nenhuma de nós imaginou ter”.

A ministra Eleonora Menicucci afirmou que é um orgulho ter Marta Suplicy como vice-presidente do Senado. Ela ressaltou as dificuldades vividas por servidoras e servidores públicos, especialmente quanto ao assédio, e louvou o repúdio à discriminação dentro do Senado. “É fundamental que esta Casa seja um exemplo simbólico da não-permissão destas discriminações no âmbito funcional”.

A ministra Luiza Bairros saudou a consolidação do programa através da adesão do Senado. Ela assinalou a importância do enfrentamento ao racismo e ao sexismo institucional, que, em sua opinião, devem ser avaliados não quanto à atitude de quem os pratica, mas em seus efeitos na vida das pessoas. “O Brasil vive hoje um momento extremamente favorável do ponto de vista dos processos de inclusão. Ninguém pode ficar para trás em relação a isso”.

Também participaram da cerimônia as senadoras Ana Amélia (PP-RS), Ana Rita (PT-ES), Ângela Portela (PT-RR) e Lídice da Mata (PSB-BA).

Com informações da Agência Senado

Leia também