Manobra golpista

Senadores petistas e movimentos sociais criticam intervenção no Rio

Intervenção militar assinada pelo golpista Temer é criticada por Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias, João Paulo Rodrigues e outras lideranças do partido
:: Da redação16 de fevereiro de 2018 15:03

Senadores petistas e movimentos sociais criticam intervenção no Rio

:: Da redação16 de fevereiro de 2018

Em solenidade no Palácio do Planalto, em Brasília, o governo golpista de Michel Temer anunciou a intervenção militar na Segurança Pública do Rio de Janeiro. Com isso, as Forças Armadas assumirão todas as atividades de segurança no estado fluminense, em ação que pode durar até dezembro.

Para a presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), “essa intervenção militar tem caráter político. É uma decisão política de mudar a pauta do país. Vendo que não ia aprovar a reforma da Previdência, mudaram a pauta, resolveram fazer a intervenção no Rio de Janeiro”.

“Não cabe às Forças Armadas cuidar da segurança pública. O problema é o impacto nas comunidades, porque as Forças Armadas não são preparadas para isso, mas para a guerra”, disse a senadora, advertindo que a medida por abrir a porta para perseguição e repressão dos movimentos sociais.

Para o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), “o golpista Temer partiu para o tudo ou nada visando conservar o seu bloco no poder: o governo impopular começará a travar uma nova Guerra das Malvinas. De quebra, arrumou uma saída ‘honrosa’ para evitar a derrota na reforma da Previdência”.

Leia a íntegra da matéria.

Leia também