Suplicy, em Paris, explica como o Brasil combate a miséria

Eduardo Suplicy (PT-SP) participa, nesta terça-feira (12), do Projeto NOPOOR, entidade voltada para a pesquisa e elaboração de propostas para a erradicação da pobreza no mundo globalizado.

 

:: Da redação11 de junho de 2012 20:30

Suplicy, em Paris, explica como o Brasil combate a miséria

:: Da redação11 de junho de 2012

suplicy1106O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) participa, nesta terça-feira (12), da reunião do Projeto NOPOOR, entidade voltada para a pesquisa e elaboração de propostas para a erradicação da pobreza no mundo globalizado. O senador vai fazer um balanço sobre a experiência do Brasil na luta pela erradicação da pobreza e a perspectiva da instituição da renda básica de cidadania como meio de prover justiça social.

O NOPOOR congrega 19 organizações internacionais, de 17 países e está reunido em Paris, França. Na palestra que irá proferir nesta terça-feira, Suplicy destacará os impactos do programa governamental Bolsa Família na vida de milhões de brasileiros Em 2003, as famílias que viviam abaixo da linha da pobreza representavam 17,5% do total. Em 2008, esse percentual caiu 8,8%. “Em 2001, a renda média dos 20% mais ricos (famílias) era 27 vezes maior do que a renda média dos 20% mais pobres. Em 2008, essa distância caiu para 19 vezes. Uma redução de 30% na desigualdade nesse período”, afirma o senador, autor da Lei de Renda Básica de Cidadania brasileira.

Suplicy destaca que o sucesso brasileiro no combate à pobreza e à desigualdade é uma decorrência direta da adoção da Bolsa Família, aliada a outros instrumentos de inclusão adotados pelo governo. Ele também apresentará ao NOPOOR os programas Brasil Sem Miséria — que utiliza o inovador sistema de Busca Ativa para identificar os 16 milhões de brasileiros que ainda não se beneficiaram do Bolsa Família e vivem em situação de pobreza extrema — e o Brasil Carinhoso voltado para a erradicação da pobreza entre as crianças, assegurando uma bolsa de R$ 70 para as famílias que tenham filhos de até seis anos de idade.

Conheça o Projeto Nopoor

http://www.nopoor.eu/

Leia também