Um ano sem Dilma

Um ano de recessão, desemprego e ataque aos direitos

“O presente nós perdemos. Não podemos perder o futuro”, adverte a presidente Dilma Rousseff, convocando os brasileiros à luta
:: Fernando Rosa9 de maio de 2017 11:58

Um ano de recessão, desemprego e ataque aos direitos

:: Fernando Rosa9 de maio de 2017

Com participação da presidenta Dilma Rousseff, o Partido do Trabalhadores do Rio Grande do Sul promove o ato “Um ano do golpe” no próximo dia 12 de maio, em Porto Alegre. O evento também contará com presença da líder da Bancada do PT no Senado Federal, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), e do senador Lindbergh Farias (PT-RJ). O evento acontecerá no plenário da Câmara de Vereadores, às 18h30.

A promessa de “salvar o país” resultou em um ano de afronta à soberania, desastre econômico, insegurança jurídica e perda de direitos para os brasileiros. Nenhum setor social, econômico ou institucional escapou do ataque planejado pelos interesses externos. A política de “atrair investimentos” por meio da venda de patrimônio público retrocedeu o país aos anos da “privataria tucana”, na década de noventa.

Nesse ano, a presidenta Dilma Rousseff participou de dezenas de entrevistas e palestras no Brasil e no exterior para denunciar o golpe de Estado. Em recente palestra na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Dilma disse que “na democracia, é preciso falar a verdade e nós precisamos falar a verdade sobre o golpe, seus agentes e suas reais intenções”. “O presente nós perdemos. Não podemos perder o futuro”, advertiu ela.

 

Leia também