Viana: “É um honra estar entre os expoentes do Parlamento”

O senador acriano é considerado um dos parlamentares mais influentes por quatro anos consecutivosConsiderado um dos parlamentares mais influentes por quatro anos consecutivos pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), o senador Jorge Viana (PT-AC) celebrou em plenário o reconhecimento ao seu trabalho. Pedindo desculpas pelo que poderia ser interpretado como “falta de modéstia”, o petista disse que se sente honrado em ver seu nome inscrito em um levantamento que se tornou referência dentro e fora do Congresso Nacional, a lista dos “100 Cabeças do Congresso”. “É uma honra muito grande estar entre os cem parlamentares que, de alguma maneira, são identificados como expoentes”, afirmou.

:: Da redação30 de julho de 2014 20:54

Viana: “É um honra estar entre os expoentes do Parlamento”

:: Da redação30 de julho de 2014

Viana é apontado pelo Diap como um dos principais articuladores do Congresso. Segundo a publicação, os articuladores são pessoas com capacidade de formar apoio a iniciativas e organizar consenso, porque possuem “excelente trânsito nas diversas correntes políticas”. Assim como Viana, os senadores petistas Humberto Costa (PE) e Delcídio do Amaral (MS) são apontados com esse perfil. Ao todo, dos 13 senadores do PT em exercício, dez estão listados nas cinco categorias em que se divide o levantamento.

A seleção dos “100 Cabeças” inclui pesquisa, checagem da presença em plenário do parlamentar, propostas do parlamentar que foram aprovadas e sua posição na estrutura do Congresso, entre outros parâmetros. Em 2014, a lista conta com 63 deputados e 37 senadores. Os partidos da base de sustentação do Governo reúnem 69% da elite do Congresso; sendo o PT o partido com mais congressistas selecionados, com 27 dos 100 nomes. A oposição, liderada pelo PSDB com 11 parlamentares, detém 25% dos indicados.

Jorge Viana sinalizou que o resultado da pesquisa é um estímulo para que ele faça um mandato cada vez mais antenado com a sociedade que representa. “Isso serve como estímulo para que eu siga trabalhando. Eu só quero uma coisa: representar bem o povo do Acre, o povo da Amazônia, e desempenhar bem a função política que me foi confiada pelo voto popular dos acreanos”, frisou.

Leia também