Viana parabeniza 32 anos do PT e lembra líder Chico Mendes

“São 32 anos lutando por democracia, por inclusão social, pelo engrandecimento do Brasil e por um mundo melhor”, afirmou.

:: Da redação10 de fevereiro de 2012 12:31

Viana parabeniza 32 anos do PT e lembra líder Chico Mendes

:: Da redação10 de fevereiro de 2012

Primeiro orador da tribuna do Senado nesta sexta-feira (10/02), o senador Jorge Viana parabenizou o Partido dos Trabalhadores que completa 32 anos de fundação e lembrou a participação do líder Chico Mendes na luta pela melhoria de condições de vida do povo da floresta. “São 32 anos lutando por democracia, por inclusão social, pelo engrandecimento do Brasil e por um mundo melhor”, afirmou.

O senador disse que nesta sexta-feira (10/02), em Brasília, onde acontecerá a festa de aniversário do partido, lideranças de todos os cantos do Brasil se reunirão com a presidenta Dilma e o ex-presidente Lula. “Também estamos fazendo hoje uma homenagem a Apolônio Carvalho. É um cidadão do mundo que carregou na luta a honra de ter a ficha de filiação número um do Partido dos Trabalhadores”, disse.

Jorge Viana lembrou que teve o privilégio de conhecer Apolônio Carvalho, um histórico militante de esquerda. Num encontro do partido, Apolônio pronunciou que o compromisso com a luta do povo do mundo inteiro era a sua bandeira, onde todos deviam mudar, aperfeiçoar-se a cada dia. Sua frase marcante foi “temos que mudar sem mudar de lado”.

Em seu discurso, o senador enfatizou a carreira política do ex-presidente Lula que é a base da história do PT. “O presidente Lula é, para mim, uma referência de vida, a minha referência de militância política”, afirmou.

Em aparte, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) destacou a participação de Jorge, Tião Viana, Aníbal Diniz, Sibá Machado, Chico Mendes e Binho Marques na construção do PT no estado do Acre. “Testemunhei o trabalho de todos para fazer com que nosso partido, sobretudo no Acre, fosse um exemplo do orçamento participativo, do bom critério na hora de dialogar com o povo sobre as principais prioridades justamente para prover aqueles que ainda não tem o pleno direito a cidadania”, enfatizou.

Marcello Antunes 

Leia também