“Vou acelerar a reforma agrária”, diz Dilma, para a Contag

A preocupação é garantir qualidade, políticas de crédito e assistência técnica aos assentados.

 

:: Da redação6 de março de 2013 18:05

“Vou acelerar a reforma agrária”, diz Dilma, para a Contag

:: Da redação6 de março de 2013

dilma_contag

“Eu nunca prometo o que não faço. Não tem jeito,
não prometo mesmo”

A presidenta Dilma Rousseff anunciou, na noite dessa terça-feira (5), que vai acelerar a reforma agrária no Brasil. “Eu nunca prometo o que não faço. Não tem jeito, não prometo mesmo. Então, prometo aqui uma coisa: vamos fazer uma aceleração do processo de [distribuição] de terras”, disse Dilma aos trabalhadores rurais, que acompanharam seu discurso de abertura do 11º Congresso Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais.

De acordo com a presidente, a principal preocupação do governo com o processo de reforma agrária é garantir que ele seja realizado com qualidade, com garantia de políticas de crédito e assistência técnica aos assentados. “A terra tem que ser produtiva, não pode pôr em qualquer terra, o governo não vai fazer isso. Vou acelerar a reforma agrária, mas vou acelerar com terra de qualidade”, afiançou.

Em contrapartida, Dilma pediu que os assentados façam o cadastramento para ter acesso aos programas sociais do governo como Bolsa Família, Água para Todos, Luz para Todos e Minha Casa Minha Vida. “Porque mesmo recebendo a terra, [a pessoa] tem direito ao bolsa família e a todos os benefícios que qualquer outro brasileiro”, afirmou. “Muitas vezes dizem: ‘a pessoa que ganhou a terra, ela que se vire’. Não é assim. Não há reforma agrária correta assim. Queremos que os assentados tenham condições de viver naquela terra”.

A presidente ainda sugeriu uma parceria com os trabalhadores rurais para encontrar os últimos brasileiros que vivem em condições de pobreza extrema. Disse que não quer mais ouvir da ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, que o nível de miséria no campo é alto. E reiterou que não faltará dinheiro para a agricultura família. O governo destinou R$ 18 bilhões para a safra 2012/2013. “Esse é o dinheiro mais bem empregado”, afirmou Dilma, argumentando que hoje 70% dos alimentos na mesa dos brasileiros são produzidos pela agricultura familiar.

Números da reforma

Existem hoje, segundo dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), mais de 1,2 milhão de famílias assentadas pela reforma agrária. Desse total, 659.184 (ou 52%) são de beneficiados durante os 10 anos do governo do PT.

Assista o discurso da presidente

{youtube}3adMbCzuUAc{/youtube}

Com informações de agências de notícias

Leia mais:

Minha Casa, Minha Vida vai beneficiar 60 mil famílias de assentados

Carvalho: prioridade é reforma agrária sustentável

Reforma agrária vai injetar R$ 3,4 bi na economia em 2013

Leia também