Walter Pinheiro: banda larga é direito de todo cidadão

Senador esteve, na sexta-feira (10), em debate na Assembleia Legislativa da Bahia.

:: Da redação10 de maio de 2013 20:18

Walter Pinheiro: banda larga é direito de todo cidadão

:: Da redação10 de maio de 2013

Os desafios e oportunidades para o crescimento da inclusão digital e banda larga no País estão cada vez mais presentes nas agendas de prioridades dos gestores públicos. Nesta sexta-feira, 10, foi vez da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) debater o assunto. Entre os

  “Acesso à internet tem que ser direito, não pode
  ser favor. É um fator decisivo na economia”

debatedores, Walter Pinheiro (PT-BA), integrante da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado (CCT) e com amplo conhecimento no setor de telecomunicações, destacou a importância da universalização da internet no País, tanto para garantir o acesso à comunicação e à informação para a população como para o setor empresarial.

“Acesso à internet tem que ser direito, não pode ser favor. É um fator decisivo na economia. Hoje, a empresa, para se instalar em determinado município, não necessita apenas de mão de obra e políticas de incentivo, mas do acesso à banda larga, em função da comunicação integrada entre as filiais e a central, num mundo cada vez mais competitivo e de economia globalizada”, disse.

Infraestrutura
O representante do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil), José Lira, apresentou os dados sobre telefonia e banda larga. Observou que dentre as 64 mil escolas públicas brasileiras  que possuem internet, 5.500 estão na Bahia.

Entretanto, na opinião do senador Pinheiro, a instalação de mais antenas não é a melhor saída. “Não é possível a implantação de mais 60 mil antenas, por isso a importância do compartilhamento de redes”, afirmou o senador,que é um defensor  da integração da infraestrutura de energia, água e saneamento como caminho para ampliar o acesso à rede de telefonia. A proposta defendida por Pinheiro, além de reduzir custos, geraria um impacto muito menor na paisagem dos grandes centros, que não ficariam cercados por fios e antenas. A Lei Geral de Telecomunicações, projeto que contou com a relatoria de Walter Pinheiro no Senado, acolhe essa interlocução de infraestrutura de diversos meios de acesso.

Outro caminho foi ressaltado pelo presidente da Associação Brasileira de Internet (Abranet), Eduardo Neger, para quem “num País continental como o nosso, que demanda altos investimentos”, a atuação dos pequenos e médios provedores locais suprem a necessidade em regiões remotas e rurais.

Com assessoria de imprensa do senador Walter Pinheiro

Foto: Carlos Alilton

 

Leia também