Walter Pinheiro defende rigor na punição de agressor sexual

A denúncia da violência contra crianças e a exposição do agressor são formas de combater o crime.

:: Da redação23 de maio de 2012 18:48

Walter Pinheiro defende rigor na punição de agressor sexual

:: Da redação23 de maio de 2012

A palavra das vítimas e a exposição dos responsáveis é a melhor forma de evitar a exploração sexual de crianças e adolescentes. Essa é a opinião do líder do PT, Walter Pinheiro (BA). Em pronunciamento na terça-feira (22/05), Pinheiro (PT-BA) classificou o abuso sexual contra crianças como um dos maiores crimes que podem ser cometidos contra um ser humano e defendeu punições severas para os bandidos.

“O abuso e a agressão aos pequeninos mexem com todos nós, independentemente da orientação religiosa. É impossível que um ser humano não se revolte, não se transforme, inclusive, diante de uma situação como essa”, disse o líder que afirmou ainda que casos como o da apresentadora de TV, Xuxa Meneguel – que revelou em entrevista recente ter sido vítima de agressões quando criança – são importantes para que as pessoas aprendam a denunciar os seus agressores.

Ele defende que tornar pública a denúncia é uma prestação de serviço público, “para que o crime venha à tona e as pessoas possam se defender, e, ao mesmo tempo, traz, para o ambiente público, a prática dessas pessoas”, disse. E acrescentou que a exposição do estuprador é a melhor maneira de inibir os ataques.

Para o senador, a simples denúncia dos casos pelas vítimas é mais importante que a aprovação de leis penalizando o crime. Ele acredita que uma lei nesse sentido pode apenas penalizar um crime que já ocorreu, mas a denúncia pode servir para inibir novos ataques.  “Não se deve ter qualquer pontinha de sentimento na hora de punir esses agressores, que não são dignos de pena, mas de cumprir pena, ou tratamento”, assegurou.

“Mais do que as produções de leis é essencial a gente estimular a ação cotidiana das práticas das instituições públicas num intenso combate a esse tipo de atitude”, insistiu.

Com informações da Agência Senado

Leia também