Walter Pinheiro registra crescimento da economia baiana

Estado exibe crescimento do PIB maior que a média nacional, em função das ações de desenvolvimento.

:: Da redação31 de outubro de 2013 19:33

Walter Pinheiro registra crescimento da economia baiana

:: Da redação31 de outubro de 2013

Pinheiro ressaltou os incentivos para a indústria,
o investimento na agricultura, a reestruturação
das malhas rodoviária e ferroviária em curso
na Bahia (Agência Senado)

Em discurso na tribuna na tarde desta quinta-feira (31), o senador Walter Pinheiro (PT-BA) destacou o crescimento consecutivo da economia baiana. Conforme dados do governo baiano, enquanto o crescimento nacional acumulado no primeiro semestre de 2013 foi de 2,6%, a Bahia cresceu 3,3%. Em comparação com outros estados, segundo números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o crescimento baiano é ainda mais vigoroso: Minas Gerais cresceu 0,8% e São Paulo, 1,8%.Pinheiro disse que o PIB não cresce de modo espontâneo, mas requer instrumentos de indução.

Esse instrumento da indução pode ser percebido de várias formas, segundo Pinheiro, seja no incentivo e na atração de indústrias; seja no processo de investimento na agricultura; na reestruturação das malhas rodoviária e ferroviária; seja no permanente estímulo à iniciativa privada e ao empreendedorismo.

“Inclusive a presidenta Dilma estará em Salvador amanhã para entregar a ligação da BR 324 com o Porto de Salvador, desafogando o transporte de carga, o que resolve um dos graves problemas de circulação na cidade de Salvador, numa área em que uma das rotatórias foi batizada de “rótula do abacaxi”, exatamente pela complexidade e pelos problemas de trânsito que ali se acumulavam”, afirmou.

Pinheiro observa que essa obra completa o desejo dos soteropolitanos de alterar a infraestrutura, de possibilitar a ligação rápida entre os canais de produção e os canais de escoamento da produção. “Ao mesmo tempo, a BR 324 é um embrião para o processo desafiador que o governador lançou desde 2009, que é a possibilidade de construirmos a ponte Salvador–Itaparica como um vetor de desenvolvimento, como uma rota para o desenvolvimento da chamada saída Oeste de Salvador”, destacou.

Ao falar sobre o programa Bolsa Família na Bahia, o senador afirmou que do total de 2,3 milhões de famílias com renda per capita de até R$ 140,00 por mês, 77,29% são participantes do programa Bolsa Família e o desafio é incluir novos beneficiários com esse perfil. “Com a chamada Busca Ativa, a presidenta Dilma nos conclama a encontrar as famílias para aderirem ao programa. Houve um aumento significativo de 130 mil famílias entre 2011 e 2013, mas os baianos podem fazer mais”, afirmou.

Pinheiro disse ainda que o Bolsa Família é uma significativa tecnologia de inclusão social e de redução da desigualdade, e como destacou o presidente Lula, “só quem nunca passou fome pode analisar a importância do programa”, que a cada dia avança com a integração de outras políticas públicas inclusivas como nas áreas da agricultura familiar ou do empreendedorismo. 

O senador, em seu discurso, destacou que ao mesmo tempo em que a Bahia irá encontrar as famílias que podem receber o Bolsa Família, o estado exibe um crescimento do PIB maior que a média nacional, justamente por causa das ações indutoras do desenvolvimento. Esse estímulo tem sido patrocinado pelo governador petista Jaques Wagner, quando desconcentra a economia, os investimentos, ou quando promove a reintegração do estado ao olhar para o todo, um estado que tem dimensões comparadas inclusive às de alguns países.

Leia também