Wellington defende escolas bilingues para surdos

:: Da redação12 de setembro de 2011 19:32

Wellington defende escolas bilingues para surdos

:: Da redação12 de setembro de 2011

O senador Wellington Dias (PT/PI) participou nesta sexta-feira (09/09) do Seminário Estadual em Defesa das Escolas Bilíngues para Surdos no Plano Nacional de Educação (PNE). O seminário foi realizado no Plenarinho da Assembléia Legislativa do Piauí e reuniu surdos, familiares, autoridades e lutadores pela causa.
De acordo com Alviberta Vitório, diretora da Associação dos Surdos de Teresina (ASTE), o evento aconteceu simultaneamente em todo o Brasil com o objetivo de levantar propostas para serem incluídas no Plano Nacional de Educação, com destaque principal para as escolas bilíngües para surdos. “O que se quer não é uma escola especial só para surdos, mas a implantação de escolas bilíngües onde os professores trabalhem a linguagem de libras como a nata e o português como uma segunda língua, ou seja, a língua escrita em português seria a como língua instrutiva nas salas de aula, assim os ouvintes e os surdos poderiam aprender nas mesmas condições”, defendeu.

A diretora explica que a realidade para os surdos é de exclusão e a grande maioria é analfabeta, justamente por esta falta de motivação quando se depara com uma escola com um professor que só “bate boca”, sem levar em conta os surdos em sala de aula. “Neste momento o que enxergamos como solução é a escola bilíngüe”, destacou. Durante o seminário foram apresentados vídeos e depoimentos que comprovam as dificuldades de acessos de surdos, assim como cobranças de mais ações no sentido de proporcionar mais inclusão e melhorias para pessoas com esse tipo de deficiência. Como declarou Eva Melo, professora e mãe de surdo. “O que fazemos aqui é um pedido de socorro. Queremos que nossos filhos tenham mais oportunidades de estudar e de crescer. Se o surdo não consegue comunicação, ele não consegue evoluir”, destacou.

O senador Wellington Dias destacou a mobilização em defesa das escolas bilíngües realizada no Congresso Nacional que conseguiu reunir um grande número de pessoas na defesa dessa causa.”O que nós desejamos é que não só os surdos, mas todas as pessoas que lidam no dia a dia com eles também possam estudar numa escola especializada, onde se aprenda o português, mas também a língua de Libras”, defendeu o senador. Para ele, a reivindicação da categoria é justificada com a necessidade de preparar a família para se comunicar com seus membros que são deficientes.
Plano Nacional da Pessoa com DeficiênciaO senador Wellington Dias destacou que até o final de setembro, a presidenta Dilma Rousseff deve lançar um conjunto de medidas, o Plano Nacional da Pessoa com Deficiência.
O parlamentar acredita que o plano permitirá ao Brasil melhorar o atendimento a essa parcela da população, dando continuidade e ampliação às boas experiências no apoio aos portadores de deficiência.
O Brasil não chegou ainda a um consenso sobre a pessoa com deficiência. “Há a defesa de que há deficiências que tem possibilidade de se estudar numa escola tradicional, mas também é preciso reconhecer que há deficiências que não têm a mesma resposta. E essas questões devem passar pelo plano”, lembrou.
O senador lembrou os avanços conseguidos, por exemplo, por pessoas com deficiências como os cadeirantes. “Já houve muitos avanços, por exemplo, na questão da acessibilidade, mas estamos distantes em relação às outras deficiências. O lançamento desse plano vai ser um marco na história do país”, disse o senador.

Leia também