Wellington:“É importante contar história que não se aprende”

Senador esteve na inauguração de exposição para lembrar Batalha do Jenipapo

 

:: Da redação11 de março de 2014 17:41

Wellington:“É importante contar história que não se aprende”

:: Da redação11 de março de 2014

batalha_liderana

Senador participou da inauguração da
exposição que relembra Batalha do
Jenipapo

O senador Wellington Dias (PT-PI) participou, nesta terça-feira (11), da inauguração da exposição comemorativa à Batalha do Jenipapo, um episódio fundamental na luta pela Independência e para a manutenção da integridade do território brasileiro. Travada no  Piauí, em 13 de março de 1823, o confronto envolveu escravos e homens livres brasileiros, que enfrentaram tropas regulares portuguesas bem armadas e treinadas que tentavam manter o Piauí como território fiel à Coroa portuguesa. A exposição está sendo realizada na Câmara dos Deputados.

“É fundamental que o País conheça sua história e saiba que a Independência não foi feita apenas com um gesto de espada de um príncipe português”, afirmou Wellington, referindo-se ao “Grito do Ipiranga”, episódio que, nos livros escolares, consta como movimento decisivo para o surgimento do Brasil como Nação independente. “A verdade é que em muitos rincões foi preciso derramar o sangue de brasileiros para que conquistássemos nossa Independência”.

A Proclamação da Independência, em 7 de Setembro de 1822, não foi suficiente para assegurar ao Brasil a condição de País soberano. Tropas portuguesas estacionadas no Nordeste do Brasil tentaram manter esse território submisso à Coroa de Portugal. Na Bahia, desde junho de 1822, havia combates entre brasileiros e o exército luso. O mesmo ocorria no Piauí, área estratégica para o projeto de D. João VI de manter o Norte do Brasil como colônia. Comandado pelo veterano das Guerras Napoleônicas, General João José Fidié, o contingente português tomou a Vila de Parnaíba (PI), que havia se declarado pró Independência, em dezembro de 1822.

jenipapo

Em março, a tropa portuguesa dirigiu-se a Oeiras (PI) quando, às margens do Rio Jenipapo, onde hoje está o município de Campo Maior, encontrou-se com um improvisado, destreinado e mal armado exército composto por voluntários brasileiros. A batalha, que custou a vida de mais de 200 independentistas, foi vencida por Fidié, mas as perdas que o general sofreu em suprimentos e armamentos seria decisiva para que se retirasse para o Maranhão, onde acabou derrotado em Caxias. A prisão e a deportação do general português foi essencial para que os brasileiros mantivessem o Piauí e todo o Norte como parte do Brasil Independente.

Resgate histórico
A exposição sobre a Batalha do Jenipapo faz parte de um projeto da Câmara dos Deputados  de resgate de episódios históricos importantes para a formação do Brasil, mas que são pouco conhecidos fora das regiões onde ocorreram. A mostra foi organizada pelo Centro Cultural da Casa, a partir de uma iniciativa do deputado Jesus Rodrigues (PT-PI).  Um movimento apoiado pelo senador Wellington Dias e outros parlamentares piauienses pretende que a Batalha do Jenipapo passe a figurar no currículo de História das escolas.

“O País precisa ter orgulho de sua história para projetar seu futuro”, pondera Wellington Dias. “Para isso, é necessário conhecê-la. Há muitos episódios heróicos, que atestam o povo aguerrido que somos. É preciso honrar a memória de nossos heróis e reverenciar sua trajetória”, concluiu o senador.

Cyntia Campos

Leia também