Trabalhador unido

1º de Maio sela unidade por direitos, democracia e #LulaLivre

“Não tem Plano B. Lula vai sair da prisão candidato a presidente da República”, garantiu a presidenta nacional do PT
:: Cyntia Campos1 de maio de 2018 22:56

1º de Maio sela unidade por direitos, democracia e #LulaLivre

:: Cyntia Campos1 de maio de 2018

Os trabalhadores e trabalhadoras comemoraram seu dia, nesta terça-feira, com manifestações, shows e caminhadas nas principais cidades do Brasil e da América-Latina. Independente da região ou nacionalidade, porém, suas atenções estavam voltadas para Curitiba (PR), onde o homem reconhecido por eles e elas como um igual cumpria o 24º dia de prisão que todos entendem como política.

Foi na capital paranaense, onde Lula está confinado em uma cela da Polícia Federal, que se realizaram as principais manifestações deste 1º de Maio de 2018.

A agenda começou cedinho, às 7h, com uma concentração preparatória para o já clássico “Bom Dia Lula”— saudação dos militantes em frente à PF e que o presidente consegue escutar em seu cubículo — e terminou no idioma que ele entende mais: a exortação à mobilização e à unidade feita por sindicalistas, os dirigentes das sete centrais sindicais do País que, pela primeira vez — e por Lula — deixaram as divergências de lado e realizaram um 1º de Maio unitário.

Dirigentes da CUT, CTB, CSB, Força Sindical, Intersindical, Nova Central e UGT se revezaram no palanque com lideranças políticas e artistas como Beth Carvalho, 72 anos de vida e de samba,  Ana Cañas e Renegado. “Seja o elo da corrente, vamos caminhar. O povo quer, o povo decide, o povo diz: nós queremos Lula andando livre no país”, diz a letra do samba “Lula Livre”, de Claudinho Guimarães , cantado por Beth Carvalho, que encerrou o show com “Deixe a Vida me Levar”—o preferido do ex-presidente.

Veja como foram as manifestações por #LulaLivre em várias cidades do mundo.

Também participaram do ato em Curitiba os pré-candidatos a presidente da República Guilherme Boulos (PSOL), Aldo Rebelo (SD) e Manoela D’Ávila (PCdoB) e o pré-candidato a governador do Paraná, senador Roberto Requião, “do velho MDB de guerra”, como definiu a senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT.

Gleisi subiu ao palanque trazendo notícias do ex-presidente —“ele está bem, confiante”— e leu uma carta de Lula ao povo brasileiro pelo 1º de Maio. Na mensagem, ele manifesta “tristeza e esperança”, ressaltando  que os retrocessos trazidos pelo golpe de 2016 não afastam a certeza de que a sociedade brasileira vai conseguir reverter esse quadro.

“Não tem Plano B. Lula vai sair da prisão candidato a presidente da República”, garantiu a presidenta nacional do PT.

O líder da Bancada do PT no Senado Federal também participou do ato em Curitiba, onde se encontrava desde ontem, quando foi prestar solidariedade aos acampados, vítimas de atentado terrorista na noite anterior.

Fátima Bezerra (PT-RN), Humberto Costa (PT-PE), líder da Oposição no Senado, Jorge Viana (PT-AC), José Pimentel (PT-CE), Paulo Paim (PT-RS), Paulo Rocha (PT-PA) e Regina Sousa (PT-PI) participaram das comemorações do 1º de Maio em seus estados.

Veja a íntegra da mensagem de Lula

“Meus amigos, minhas amigas,

O Brasil vive esse 1º de maio com tristeza mas esperança.É com tristeza que vivemos um momento onde a nossa democracia está incompleta, com um presidente que não foi eleito pelo povo no poder. O desemprego cresce e humilha o pai de família e a dona de casa. Em uma força de trabalho superior a 100 milhões de pessoas, apenas 33 milhões têm carteira assinada, o número mais baixo em 6 anos. Uma multidão de mais de 13 milhões está desempregada e outros tantos milhões em subempregos ou na informalidade.

O país sofreu com a reforma do governo Temer o mais duro golpe nos direitos conquistados pelos trabalhadores ao longo do século XX.

É com tristeza que vemos a economia patinar, conquistas democráticas serem revogadas e a maioria da população fazendo sacrifícios diariamente. O direito ao trabalho, a proteção da lei, ao estudo, ao lazer tem sido cada vez mais restritos. A mesa já não é farta, e até para cozinhar o pouco que tem muitas famílias catam lenha porque não podem mais pagar o bujão de gás. Crianças e jovens perdem o futuro que lhes garantimos e a porta de acesso ao ensino superior que tiveram nos governos nos quais servimos em benefício daqueles que mais precisavam.

Vocês se lembram da prosperidade do Brasil naqueles tempos. Quando o Brasil ia bem e parte da imprensa reclamava o tempo inteiro. Agora o Brasil vai mal e os mesmos falam em “retomada da economia”. A sabedoria popular contra essa propaganda massiva, em especial das Organizações Globo, que controlam a maior parte das comunicações desse país, revela-se nas pesquisas, onde o povo mostra que sabe o caminho para voltar a ter um Brasil melhor, com mais inclusão social, democracia e felicidade. Um Brasil onde os trabalhadores tenham direito a ter direitos. Onde os trabalhadores possam ter uma vida digna. Onde as crianças possam ter uma boa educação. Onde nenhum menino ou menina passe fome ou fique pedindo esmola em um farol. Onde o filho do pedreiro possa fazer uma faculdade e virar doutor. Um país do qual possamos ter orgulho. Sabemos que esse Brasil é possível. Mais do que isso, já vivemos nesse Brasil há muito pouco tempo atrás.

Por isso a esperança! A esperança que retomamos neste 1.º de Maio unificado não é apenas um desejo, é algo que buscamos em nossa luta democrática em todos os dias. Ela nos fortalece para superarmos o triste momento presente e para construir um futuro de paz e prosperidade.

Viva o Dia dos Trabalhadores! Viva os trabalhadores brasileiros! Viva o Brasil!”

Luiz Inácio Lula da Silva.

PARABÉNS, TRABALHADOR(A)Acompanhe AO VIVO os atos deste 1º de maio, que pela primeira vez une as maiores centrais sindicais do país pelos direitos trabalhistas e por #LulaLivre:

Publicado por PT no Senado em Terça-feira, 1 de maio de 2018

 

 

Leia também