Aníbal Diniz destaca saúde financeira do estado do Acre

A dívida do Acre, estimada em R$ 2 bilhões, está sendo paga em dia e não compromete nem a capacidade de endividamento e tampouco a sua capacidade de realizar novos investimentos.

:: Da redação17 de abril de 2012 21:59

Aníbal Diniz destaca saúde financeira do estado do Acre

:: Da redação17 de abril de 2012

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) fez uma especial referência ao Encontro Nacional da UNALE – União Nacional dos Legislativos Estaduais, realizado nesta segunda-feira (16), em Rio Branco, no qual o principal tema discutido foram os juros das dívidas dos estados. O evento, coordenado pelo deputado estadual Luiz Tchê (PDT/AC), contou com a presença do governador em exercício, César Messias, ocorreu no plenário da Assembleia Legislativa e atraiu deputados de 14 estados brasileiros.

Ao contrário do que ocorre na maioria das unidades federativas brasileiras, a dívida do Acre, estimada em R$ 2 bilhões, está sendo paga em dia e não compromete nem a capacidade de endividamento do Estado durante os próximos anos e tampouco a sua capacidade de realizar novos investimentos.

Mas um ponto em comum que é unanimidade entre todos os estados que estiveram representados no encontro, é a necessidade da redução dos juros pagos pelos governos estaduais e a “busca de uma forma de se tentar diminuir a carga desses parcelamentos que têm levado muitos Estados à completa inviabilidade econômica”, afirmou Aníbal Diniz, para quem os encargos sociais também são um agravante a maios neste processo de endividamento.

“Há uma tranquilidade no que diz respeito à condução econômica, principalmente no que diz respeito à adimplência junto aos organismos financiadores junto ao Governo Federal. Isso dá condição de governabilidade, mas, ao mesmo tempo, o Estado do Acre se soma aos demais Estados”, disse Aníbal Diniz.

Complementando, o senador disse também que “é preciso reduzir os juros porque, cada ponto percentual que se tira dessa dívida, principalmente no que diz respeito aos juros e à correção monetária, significa maior folga financeira para investimento naquilo que é a finalidade do Estado: (atuar) nas políticas públicas de saúde, de educação, na produção e na geração de emprego, finalizou.

Assessoria de Imprensa do senador Aníbal Diniz 

Leia também