Moro em desespero

Nova arbitrariedade leva 12 partidos ao STF em defesa de Lula

"Não temos dúvida de que se trata mais uma vez da atuação política do atual ministro da Justiça”, denuncia a presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR)
:: Agência PT de Notícias7 de agosto de 2019 17:56

Nova arbitrariedade leva 12 partidos ao STF em defesa de Lula

:: Agência PT de Notícias7 de agosto de 2019

O despacho da juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, que autoriza a transferência de Lula de Curitiba para São Paulo foi emitido pouco depois das 10h desta quarta-feira (7) e a reação foi imediata. Desta vez, no entanto, a indignação ganhou o respaldo até mesmo de representantes da base governista, dada a violência com a qual Sérgio Moro e seus asseclas insistem na perseguição política ao ex-presidente.

Indignados, mas não surpresos, a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-ministro Fernando Haddad se reuniram às pressas com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffolli para pedir justiça. Detalhe: mais de 70 parlamentares de 12 partidos diferentes participaram do encontro na tentativa de impedir uma nova violação clara aos direitos humanos caso a transferência ocorra.

“Mais uma vez Lula é vítima de Sérgio Moro. Foi a Polícia Federal que pediu a transferência de Lula. A PF é subordinada a Moro e fez isso numa velocidade inacreditável. O Departamento de Execuções Penais de São Paulo (coordenado pelo juiz Paulo Sorci) deferiu o pedido na mesma data em que se determinou a transferência. O juiz que deferiu o pedido foi indicado por Moro. Então não temos dúvida de que se trata mais uma vez da atuação política do atual ministro da Justiça”, detalha Gleisi em pronunciamento feito antes da reunião com o presidente do STF.

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA

Leia também