Belém (PA)

Ato denuncia aumento da violência no campo

Seminário e grande ato nacional sobre o tema acontecem nesta segunda
:: CUT19 de junho de 2017 10:00

Ato denuncia aumento da violência no campo

:: CUT19 de junho de 2017

Artistas, parlamentares, militantes dos direitos humanos, representantes de movimentos sociais e trabalhadores do campo e da cidade vão transformar Belém (PA) num foco de resistência contra o golpe e contra a violência no campo. Um grande ato nacional, marcado para segunda-feira (19), na Praça da República, servirá de alerta para o exponencial aumento dos conflitos agrários após a quebra do pacto democrático que colocou no poder o ilegítimo presidente Michel Temer.

A escolha do Pará como palco do evento tem relação direta com a concentração de assassinatos naquele estado em decorrência de disputas por terra. Das 37 mortes provocadas por conflitos agrários no Brasil em 2017, dez ocorreram em um único episódio no Pará – o massacre ocorrido no município de Pau D’Arco. A chacina – no dia 24 de maio – resultou de uma ação de policiais civis e militares que tinha como objetivo cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão.

Outro dado relevante que justifica as atenções voltadas para os conflitos na região amazônica é que, das 61 mortes em todo o Brasil em 2016, 48 ocorreram na Amazônia Legal, que compreende Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte dos estados do Maranhão e Mato Grosso. “Esses crimes não acontecem gratuitamente, são respaldados pelos setores mais retrógados do agronegócio e dos herdeiros da escravidão e do latifúndio”, afirma o deputado Patrus Ananias (PT-MG).

Ao fazer convite à militância para participar do ato em Belém, Patrus – que já foi ministro do Desenvolvimento Agrário, pasta extinta pelo golpista Temer – disse que essa luta se volta a quebrar privilégios em nome de um projeto maior de nação. “Quero manifestar a minha solidariedade às famílias e a todas as pessoas que no Pará e em todo o território nacional lutam para ter uma vida digna e para dar sua contribuição ao desenvolvimento e à soberania do nosso País”, pontua.

A manifestação será precedida por um seminário para debater o acirramento da violência agrária, que será realizado no auditório do Sindicato dos Bancários, em Belém. Nas duas mesas de debate, os participantes vão abordar “A conjuntura Política e Agrária e as Raízes da Violência no Campo” e “O Contexto de Criminalização das Lutas e os Desafios dos Movimentos Sociais”. Durante o evento, será aprovada a Carta de Belém, com diretrizes de luta e de resistência.

Resistência

O ato nacional é uma promoção da Frente Brasil Popular, da Frente Brasil sem Medo e do Comitê Paraense de Combate à Violência no Campo, que vem intensificando os protestos e manifestações desde o massacre de Pau D’Arco. Os integrantes do comitê estão empenhados em reforçar o pedido de federalização das investigações para garantir a segurança e a isenção necessária para a elucidação dos assassinatos.

Diferentemente da versão dos policiais de que houve confronto anterior aos crimes, testemunhas oculares da chacina ouvidas pelo Ministério Público reforçam o fato de que os posseiros assassinados na fazenda Santa Lúcia, no município de Pau D’Arco, foram, na verdade, executados. Nenhum dos policiais que participaram da ação saiu ferido. O número de mortes nesse episódio é o mesmo do contabilizado no Massacre de Corumbiara, em Rondônia, em 1995. No ano seguinte, foi a vez do Massacre de Eldorado dos Carajás, também no Pará, com 19 executados.

 

MULTIMÍDIA

O ator Osmar Prado convoca a população paraense a se somar ao ato desta segunda-feira (19) pela democracia e contra a violência no campo no Pará:

O ator Osmar Prado convoca a população paraense a se somar ao ato desta segunda-feira (19) pela democracia e contra a violência no campo no Pará. A atividade acontece às 18h na Praça da República, no centro de Belém."É inadmissível que fiquemos inativos, que não tenhamos uma reação sobre os desmandos que há muitos anos vem ocorrendo sobre a questão agrária; pessoas que lutam por um pedaço de terra, e esta luta fratricida resulta em chacinas covardes, desleais, violentas". #MassacrenoParáhttps://goo.gl/KjMrtF

Publicado por Brasil de Fato em Segunda, 19 de junho de 2017

Leia também