Bancada do Acre negocia verbas para atender vítimas de cheia

:: Da redação1 de março de 2012 15:08

Bancada do Acre negocia verbas para atender vítimas de cheia

:: Da redação1 de março de 2012

Reunião da bancada federal do Acre com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, no Palácio do Planalto, definiu encaminhamentos práticos para negociar a liberação de recursos imediatos à população atingida pela cheia dos rios Acre, Purus e Iaco.

Diante do quadro de calamidade exposto pelos parlamentares, nesta quarta-feira (29/02), e do pedido de um tratamento diferenciado por parte do Governo Federal, Ideli Salvatti afirmou que o governo poderia estudar medidas para permitir que a população acreana das áreas alagadas possa receber dinheiro o mais breve possível. Isso poderia ser feito, disse, por meio da liberação de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) sem limite e sem burocracia, do pagamento de dois salários a aposentados do INSS, ou de verbas adicionais do Bolsa Família.

Alguns parlamentares ficaram encarregados de fazer um levantamento sobre as disponibilidades de recursos financeiros ou de máquinas e equipamentos em órgãos do governo para permitir a reconstrução das cidades atingidas. O senador Aníbal Diniz (PT) irá conversar com os ministros da Educação e da Saúde. O senador Jorge Viana (PT) terá reunião com o presidente da CEF (Caixa Econômica Federal) sobre a liberação do FGTS. O coordenador da bancada, deputado Taumaturgo Lima (PT), levantará informações sobre os recursos do Bolsa Família e do Seguro Defeso (para pescadores artesanais).

Ideli Salvatti afirmou ainda que irá encaminhar o convite feito pela bancada para que a presidente Dilma Rousseff visite o Acre e veja de perto a destruição causada pela alagação. As cidades de Rio Branco e Brasiléia tiveram decretado estado de calamidade pública e outros seis municípios estão em situação de emergência.

Na reunião no Palácio do Planalto, senadores e deputados acreanos reforçaram ainda o pedido de liberação dos R$ 21 milhões pedidos pelo governo do Estado e pela prefeitura de Rio Branco, e defenderam a importância da liberação de verbas de emendas parlamentares que possam ser direcionadas para as áreas atingidas.

“A bancada conseguiu expressar à ministra Ideli o sentimento de urgência e da gravidade da catástrofe vivida pelo Acre hoje. Esperamos que ela seja uma porta-voz qualificada do Acre no Planalto. Vamos trabalhar e aguardar o desdobramento de nossas iniciativas”, afirmou o senador Aníbal Diniz.

Ele destacou que as propostas de permitir a liberação de recursos para a população são importantes, mas é também preciso lembrar que o Estado atravessa uma crise de dois momentos definidos. “Este momento agora é emergencial, no qual se gasta recursos com água, alimentação, combustível, abrigo, ações básicas e essenciais. Num segundo momento teremos todo o processo de reconstrução das cidades atingidas e por isso insistimos em colocar à disposição nossas emendas parlamentares. Nossa intenção é redirecioná-las aos municípios que sofreram enormes prejuízos”, disse.

A bancada do Acre no Congresso é formada por três senadores – Aníbal Diniz, Jorge Viana (PT), e Sérgio Petecão (PSD) – e oito deputados federais – Sibá Machado (PT), Taumaturgo Lima, Perpétua Almeida (PCdoB), Henrique Afonso (PV), Antônia Lúcia (PSC), Flaviano Melo (PMDB), Gladson Cameli (PP) e Marcio Bittar (PSDB).

Assessoria de Imprensa do senador Aníbal Diniz

Assista trecho da reunião
{youtube}xhGfcQNb-X8{/youtube} 

Leia mais:

Governo antecipa Bolsa Família para vítimas da cheia no Acre
 

Jorge Viana agiliza pedidos de calamidade pública no Acre
 

Aníbal pede urgência no reconhecimento de calamidade pública no Acre

Leia também