Despedida

Bancada do PT no Senado lamenta a morte do gigante Diego Maradona

Senadores ressaltaram a genialidade de Maradona dentro dos campos e sua aguerrida luta fora dele em defesa da justiça social e do combate às desigualdades
:: Rafael Noronha25 de novembro de 2020 16:22

Bancada do PT no Senado lamenta a morte do gigante Diego Maradona

:: Rafael Noronha25 de novembro de 2020

Os senadores da bancada do PT lamentaram e enviaram mensagens de conforto aos irmãos argentinos em decorrência da morte de Diego Armando Maradona, campeão da Copa do Mundo de 1986, que faleceu nesta quarta-feira (25), em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. Os senadores destacaram a genialidade de Maradona e lembraram seus posicionamentos políticos sempre em defesa da justiça social e do combate às desigualdades.

“Diego Maradona foi um gigante! Um dos maiores jogadores de todos os tempos e sempre esteve do lado certo da história. Lutou pela justiça social, integração da América Latina e combateu desigualdades. Descanse em paz Dieguito!”, disse o senador Rogério Carvalho (SE), líder da bancada.

“Mais do que um dos melhores jogadores da história mundial, Maradona era um cara que, diferentemente da maioria das estrelas brasileiras, tinha um compromisso muito forte com o social. Que Deus conforte a família”, desejou o senador Humberto Costa (PT-PE).

O senador Paulo Rocha (PT-PA) disse que se despede, com pesar, de um dos maiores jogadores da história do futebol mundial. “Um ativista, um ícone, uma lenda. Sentiremos eternamente sua falta, Diego Armando Maradona”.

O senador Jaques Wagner (PT-BA) lembrou que a genialidade de Maradona marcou gerações dentro de campo, mas seus posicionamentos fora de campo também destacaram sua coragem.

“Hoje nos despedimos de Diego Maradona, essa lenda do esporte que fez história no futebol e marcou gerações não só pela genialidade dentro do campo, mas também pela coragem dos seus posicionamentos fora dele ao sempre defender uma América Latina livre e soberana. Viva, Maradona!”, disse.

Para o senador Jean Paul Prates (PT-RN), a vida de Maradona foi da extrema pobreza ao extremo sucesso alcançado através dos anos sempre transbordando genialidade e a generosidade que o ligou às causas progressistas e populares.

“Maradona foi estrela nos gramados e sempre se posicionou fora dos campos pelo seu povo. Queria uma Argentina mais justa. O mundo perdeu um ídolo, craque de bola e um homem que brigava por sua gente. Nossos irmãos argentinos não estão sozinhos em seu luto. O gênio de Maradona pertence à humanidade. Viveu uma vida intensa. Voa, Diego”, destacou.

Leia também