Câmara dos Deputados tenta votar até quarta-feira quatro MPs

Entre as MPs, o Bolsa Família. No Senado, duas MPs estão em pauta, a MP 602 sobre o FNDE, e a MP 599 sobre as compensações à reforma do ICMS.

:: Da redação29 de abril de 2013 16:04

Câmara dos Deputados tenta votar até quarta-feira quatro MPs

:: Da redação29 de abril de 2013

 

A Câmara convocou os deputados para uma sessão
extraordinária hoje, a partir das 18 horas, e outra
para amanhã, às 9 horas

Com o feriado do Dia do Trabalho nesta quarta-feira (01), a Câmara dos Deputados tentará destravar a pauta entre hoje a amanhã, com a apreciação de quatro medidas provisórias, como a MP nº 590/2012 que estabelece uma renda mínima mensal de R$ 70 por pessoa nas famílias beneficiárias do programa Bolsa Família. A Câmara convocou os deputados federais para uma sessão extraordinária hoje, a partir das 18 horas, e outra para amanhã, às 9 horas. No Senado, a pauta também está trancada, neste caso, pela MP nº 602/2012 que autoriza a prorrogação de contratos por tempo determinado do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

A MP 590/2012 inclui entre os atendidos pelo programa de superação da extrema pobreza, as famílias com renda per capita de até R$ 70 que tenham crianças e adolescentes com idades entre 7 e 15 anos. A relatora da MP é a deputada Rose de Freitas (PMDB-ES). Ela incorporou mudanças contidas na MP 607/2013, prevendo a concessão desse benefício adicional a todas as famílias em situação de extrema pobreza a partir de 1º de março deste ano, independentemente de a família ter crianças ou adolescentes.

Já a MP nº 597/2012 trata da tributação especial sobre os valores pagos pelas empresas aos trabalhadores a título de participação nos lucros. A MP desvincula a tributação normal da tabela do Imposto de Renda de Pessoas Físicas (IRPF) para os salários, estabelecendo que a faixa anual de isenção em participação nos lucros pelos trabalhadores passa a ser de R$ 6 mil. Se o valor da participação nos lucros for até R$ 9 mil, a alíquota do imposto será de 7,5%. Até R$ 12 mil, incide a alíquota de 15%. Pagamentos até R$ 15 mil, a alíquota será de 22,5% e acima desse valor, a alíquota do IRPF será de 27,5%. O relator da MP é o deputado Luiz Alberto. Os efeitos da MP começam a valer a partir de 2014.

A MP 593/2012 trata do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e apresenta a proposta de criação de um sistema nacional de avaliação da educação profissional. A medida também altera a legislação do IRPF para isentar as bolsas recebidas pelos servidores no âmbito do programa de qualificação do Governo Federal.

Após várias audiências públicas e uma costura política que demandou esforços dos integrantes da comissão especial de admissibilidade, em especial do senador Humberto Costa (PT-PE) e do relator Eduardo Braga (PMDB-AM), a MP nº 595/2012 trata do novo modelo regulatório do setor dos Portos.

Com informações da Agência Câmara

 

Leia mais:
Instaladas sete comissões que analisarão MPs de estímulo à economia 

Aprovado relatório, MP do Brasil Carinhoso segue para a Câmara 
 

Aprovada isenção de IR para participação nos lucros

Leia também