Povo com Lula

Começa a jornada democrática dos trabalhadores em Curitiba

:: Rafael Noronha9 de maio de 2017 14:06

Começa a jornada democrática dos trabalhadores em Curitiba

:: Rafael Noronha9 de maio de 2017

O acampamento da Jornada da Democracia em Curitiba vai rapidamente ganhando vida. As estruturas para as caravanas estão sendo montadas em um terreno que fica entre a Ferro-rodoviária e o estádio do Paraná Clube desde a madrugada desta terça-feira (9).

A resistência dos trabalhadores segue apesar de decisões da prefeitura e de setores do Judiciário que proibiram a realização do acampamento em ruas e praças da cidade. É uma clara evidência de tentativa de restringir o direito à livre manifestação.

“Isso é errado e inconstitucional. Não há nada que impeça o direito de se manifestar”, disse a líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PT-PR) ao saber da proibição.

Mais de 1500 trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra fizeram um ato no Monumento a Antônio Tavares, na BR 277 em Curitiba, nesta terça, marcando o início da “Jornada de Lutas pela Democracia”, que acontece entre os dias 9 e 10 na capital paranaense.

O ato relembrou os 17 anos da morte do trabalhador rural e sindicalista, Antônio Tavares, vítima da repressão policial do Estado do Paraná, em 2 de maio de 2000, durante uma marcha pela Reforma Agrária organizada pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), que seguia para Curitiba pela BR 277.

“Essa burguesia é tão arrogante que falta colocar uma placa na entrada de Curitiba: propriedade privada, não entre! Agora estão fazendo essa burrice de tentar proibir o povo de fazer reunião nas praças, de andar nas ruas, de fazer ato na Boca Maldita, local que foi palco da democracia na luta pelas ‘Diretas Já’ em 1985”, criticou o coordenador do MST, José Damasceno.

Foto: Jornalistas Livres

Depoimento de Lula
O depoimento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ocorrerá às 14h de quarta-feira (10) no prédio da Justiça Federal, no bairro Ahú, tem mobilizado o apoio de brasileiros de todos os cantos do País.

Durante todo o dia ocorrerão apresentações artísticas, debates e aulas públicas para os milhares de militantes. Além da presidenta Dilma Rousseff, ex-governadores, senadores, deputados, líderes sindicais e de movimentos populares, intelectuais e artistas de renome também confirmaram presença no evento.

Caso seja liberada essa possibilidade haverá transmissão ao vivo do depoimento em telões. Também existe a expectativa de que Lula vá ao local em que a militância está reunida para fazer uma fala de agradecimento aos paranaenses e pessoas de todo o País que se deslocaram até Curitiba.

Um batalhão de jornalistas de veículos nacionais e internacionais já está na cidade para acompanhar o depoimento de Lula.

Foto: MST

Com informações da Agência PT de Notícias, CUT e Jornalistas Livres

Leia também