Comissão aprova novos critérios para publicidade oficial

Paim, em seu texto, cria a adoção obrigatória dos quesitos “técnica” e “preço”“Aprovado projeto que combate as maracutaias na contratação de serviços de propaganda na área pública”. Assim comemorou o senador Paulo Paim (PT-RS), em sua página no Twitter, nesta terça-feira (3), o resultado de votação na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT). Por unanimidade, o colegiado definiu que novos critérios para a contratação de serviços de publicidade no poder público: “técnica e preço”. A matéria agora deve ser apreciada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

:: Da redação4 de junho de 2014 00:12

Comissão aprova novos critérios para publicidade oficial

:: Da redação4 de junho de 2014

Autor do projeto (PLS 337/2005), Paim explicou que tomou a iniciativa a pedido de uma entidade de combate à impunidade e à corrupção. Segundo o senador, a entidade informou que os maiores problemas ao erário ocorrem principalmente por empresas de propaganda e publicidade.

O texto aprovado exige simultaneamente os critérios de “técnica” e “preço” no processo licitatório. Atualmente, a Lei nº 12.232/2010 estabelece a adoção obrigatória dos tipos “melhor técnica” ou “técnica e preço” nas contratações de serviços de publicidade pelo governo.

A iniciativa do petista também permite a participação de agências de propaganda reunidas em consórcio e estabelece que o fator “preço” deverá responder no mínimo por 70% do total de pontos que podem ser obtidos pelos concorrentes na licitação.

Contribuição

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), quando assumiu a relatoria da matéria na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), promoveu alguns ajustes no projeto – acolhidos pela CCT. Requião incluiu o percentual de “desconto padrão” no cálculo da pontuação da proposta de preço. O “desconto padrão” é uma comissão dada à agência pela empresa que veicula a peça publicitária e costuma se situar em 20%. O projeto passa a permitir que a agência repasse esse abatimento ao Poder Público e, assim, reduza os custos do serviço a ser prestado.

“Quanto maior esse abatimento, menores serão os dispêndios da administração pública, já que o desconto padrão é um percentual da quantia paga pelo anunciante ao veículo de divulgação”, explicou Requião.

Com Agência Senado

Leia também