Crise global derruba superávit e greve derrubam superávit comercial

:: Da redação1 de agosto de 2012 19:08

Crise global derruba superávit e greve derrubam superávit comercial

:: Da redação1 de agosto de 2012

Mesmo com a crise que assola seu principal parceiro comercial – a zona do Euro – o Brasil conseguiu acumular superávit comercial – exportações menos importações – de US$ 9,94 bilhões entre janeiro e julho deste ano. De acordo com o divulgado nesta quinta-feira (1º/08) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o superávit apurado é 38,2% menor do que o obtido durante o mesmo período do ano passado (US$ 16,09 bilhões).

No acumulado deste ano, até julho, as exportações somaram US$ 138,2 bilhões, com média diária de US$ 940 milhões, enquanto as compras do exterior totalizaram US$ 128,2 bilhões (média de US$ 872 milhões por dia útil). Contra o mesmo período de 2011, as vendas externas tiveram queda de 3%, e as importações avançaram 1,7%, de acordo com dados do governo federal.

No mês passado, apontou o Ministério do Desenvolvimento, o saldo comercial foi positivo em US$ 2,87 bilhões, resultado de US$ 21 bilhões em exportações (queda de 9,9% sobre julho de 2011) e de US$ 18,12 bilhões em compras do exterior (recuo de 9,5%). Sobre igual mês do ano passado, quando o saldo comercial ficou positivo em US$ 3,13 bilhões, a queda foi de 8,25%. Este é o segundo melhor saldo deste ano, perdendo apenas para maio (+US$ 2,95 bilhões), mas o pior mês de julho desde 2010 (+US$ 1,34 bilhão).

Além da crise internacional, que gerou novas medidas protecionistas e maior acirramento nas disputas comerciais entre países – particularmente no segmento de produtos industrializados – os valores apurados no mês de julho também foram afetados pela greve de auditores fiscais da Receita Federal e de servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que trabalham nas aduanas.

Em todo o ano de 2011, o superávit da balança comercial brasileira somou US$ 29,79 bilhões. Com isso, o superávit da balança comercial registrou crescimento de 47,8% em relação ao ano de 2010, quando o saldo positivo totalizou US$ 20,15 bilhões. Trata-se, também, do maior superávit da balança comercial desde 2007 (US$ 40,03 bilhões). Em 2008 e 2009, respectivamente, o saldo comercial somou US$ 24,95 bilhões e US$ 25,27 bilhões.

Perspectivas para 2012
Para 2012, ano que está sendo marcado pelos efeitos da crise financeira internacional, com a previsão de crescimento do PIB de 1,9%, e pela concorrência acirrada pelos mercados que ainda registram crescimento econômico – como é o caso do Brasil –, os economistas dos bancos acreditam que o valor do superávit da balança comercial (exportações menos importações) registrará queda, atingindo cerca de US$ 18 bilhões.

O Banco Central, por sua vez, projeta um superávit da balança comercial de US$ 18 bilhões para este ano. Já a Confederação Nacional da Indústria (CNI) prevê um saldo comercial positivo de US$ 20,2 bilhões neste ano. No primeiro semestre de 2012, a balança comercial registrou o pior resultado dos últimos dez anos.


Agência Brasil

Leia também