Delcídio critica privilégio para transmissão de CPI na tevê

TV Senado prioriza depoimento de Marconi Perillo à CPI do Cachoeira, ao invés de audiência com o presidente do BC sobre a crise. Delcídio protesta.

:: Da redação12 de junho de 2012 13:01

Delcídio critica privilégio para transmissão de CPI na tevê

:: Da redação12 de junho de 2012

O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), fez nesta terça-feira (12/06) um protesto veemente contra a decisão do primeiro-secretário da Casa, Cícero Lucena (PSDB-PB), de dar prioridade à transmissão pela TV Senado à CPI mista do esquema Cachoeira.

“Foi uma decisão truculenta. O Senado está virando uma delegacia de polícia”, reagiu ao enfatizar que, nas terças-feiras, a CAE tem prioridade, segundo prevê o Regimento Interno da Casa. “Quero deixar registrado que em um momento fundamental em que o Brasil busca instrumentos para gerar empregos e enfrentar a crise externa, o Senado toma esta decisão por meio do primeiro-secretário. Estão desrespeitando o Regimento Interno”, acrescentou ao fazer um alerta sobre as conseqüências deste fato.

Neste momento, a CAE está realizando audiência pública com o presidente do Banco Central, Alexandre Tomibini, que fala as perspectivas da economia brasileira e as ações governamentais de enfrentamento à crise financeira mundial. Enquanto isso, a CPI mista ouve depoimento do governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, suspeito de envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira.

A transmissão da CPI mista pela TV Senado foi solicitada pelo líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Bruno Araújo (PE) e encaminhada pelo presidente da Comissão Parlamentar, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Naquele momento, governador tucano, Marconi Perillo, está fazendo um relato da sua gestão à frente do estado.

O senador Delcídio do Amaral fez questão de lembrar que presidiu durante oito meses a CPI dos Correios e jamais tomou esta iniciativa.

Leia também