Glenn Greenwald

Denúncia contra Glenn Greenwald é arbitrária, critica Rogério

Mesmo sem ser investigado ou indiciado, jornalista Glenn Greenwald foi denunciado no âmbito da operação Spoofing  
:: Rafael Noronha21 de janeiro de 2020 14:56

Denúncia contra Glenn Greenwald é arbitrária, critica Rogério

:: Rafael Noronha21 de janeiro de 2020

O senador Rogério Carvalho (SE), vice-líder da bancada do PT no Senado, reagiu nesta terça-feira (21 ao anúncio de que o jornalista Glenn Greenwald foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da operação Spoofing que investiga a invasão de celulares de autoridades.

O jornalista do The Intercept Brasil foi denunciado sem, sequer, ser investigado ou indiciado. O The Intercept Brasil publicou, no ano passado, diálogos do então juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, com procuradores da Operação Lava Jato, dentre eles, Deltan Dallagnol.

“Ao que parece, o Ministério Público Federal está acusando para se defender da vergonha de não punir Deltan Dallagnol por tantos crimes. A organização criminosa está nas conversas divulgadas pelo The Intercept Brasil. O conluio entre Deltan e Moro, onde quem julga combina sentença com quem acusa, é crime”, criticou o senador que afirmou ter chegado o momento de “a Justiça agir com coerência”.

Ao invés de investigar os crimes revelados por Glenn Greenwald na Lava Jato, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), criticou o fato de parte do MPF preferir o caminho da retaliação contra o jornalista – contrariando, inclusive, a PF e o STF, que não constataram conduta irregular. “É mais uma prova de perseguição à imprensa e uma tentativa de prejudicar o ex-presidente Lula”, alertou.

O senador Jaques Wagner (PT-BA) classificou a denúncia como um ataque a liberdade de imprensa “sem qualquer constrangimento”, da mesma forma como membros da operação Lava Jato não se constrangem “em vazar investigações e condenar pessoas sem provas”.

NOTA DA EXECUTIVA NACIONAL DO PT

A presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que a denúncia contra Glenn Greenwald é fruto de vingança do Ministério Público contra o jornalista que denunciou crimes da Lava Jato e a parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro contra o ex-presidente Lula.

“Querem Estado policial, com mais farsas, ilegalidades e arbitrariedades. PT solidário com Glenn, em defesa da liberdade de imprensa”, destacou Gleisi.

Em nota, a defesa do jornalista Glenn Greenwald classificou a denúncia como “um expediente tosco” e afirmou que o objetivo, de fato, é depreciar o trabalho jornalístico.

Quem assina a denúncia?
Segundo informações do site Brasil 247, o procurador da República Wellington Divino de Oliveira, que assina a denúncia contra Glenn Greenwald por “invasão de celulares”, é um aliado de Sérgio Moro. Ele foi sargento do Exército por 13 anos e chefe da Procuradoria Geral da República em Goiás. Oliveira persegue Lula há mais de uma década anos e agora também persegue o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.

Lavajatista, o procurador Welligton Oliveira iniciou a perseguição a Lula muito antes de a operação político-judicial de Sergio Moro existir. Em 2007, Oliveira apresentou sua primeira denúncia contra Lula, quando ele ainda ocupava a Presidência, por suposto “desvio” de recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen).

Quase dez anos depois, em 2016, no embalo da Lava Jato, Oliveira chegou a ponto de abrir uma investigação por Lula ter supostamente ter se apropriado de um crucifixo que lhe teria sido presenteado quando era presidente.

Em dezembro de 2019, Oliveira denunciou o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, sob a acusação de ter caluniado o ministro da Justiça, Sergio Moro.

 

Leia também