Dilma: safra recorde mostra a força da agricultura brasileira

:: Catharine Rocha17 de fevereiro de 2014 18:05

Dilma: safra recorde mostra a força da agricultura brasileira

:: Catharine Rocha17 de fevereiro de 2014

Dilma: “O Brasil vai alcançar a liderança mundial na
produção de soja, mostrando a força da nossa
agricultura” (Flickr Palácio do Planalto)

“Nessa safra, a produção de grãos será recorde. Devemos atingir mais de 193 milhões de toneladas, de acordo com avaliação da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O Brasil vai alcançar com esse recorde a liderança mundial na produção de soja, mostrando a força da nossa agricultura”. Assim começou a presidenta Dilma Rousseff sua participação, nesta segunda-feira (17), no programa de rádio semanal “Café com a Presidenta”. Para Dilma, o resultado da safra 2013/2014 será importante para o crescimento do Brasil, contribuindo para o abastecimento interno, para as exportações brasileiras e para o saldo da balança comercial.

O Governo Federal aplicou R$ 157 bilhões na última safra – sendo R$ 136 bilhões liberados para médios e grandes produtores, e R$ 21 bilhões para a agricultura familiar. Os recursos subsidiaram crédito para a agricultura, o desenvolvimento de novas tecnologias para o campo, dentre outras coisas, como informou a presidenta: “esses reursos vieram sob a forma de crédito, de seguro, de incentivo a agricultura sustentável, de tecnologia. Enfim, de um conjunto de programas”.

Dos R$ 136 bilhões para o agronegócio, segundo Dilma, mais de R$ 91 bilhões já foram contratados pelos produtores. Número que representa um aumento de 50% em relação ao que foi contratado no mesmo período de 2012. “Só foi possível alcançar esse resultado porque o Governo, além de aumentar o crédito, reduziu os juros e ampliou os prazos do financiamento. Nossos produtores puderam recorrer a mais crédito e investir mais. Eles compraram mais máquinas, mais equipamentos, modernizando os sistemas de irrigação”, afirmou.

A presidenta chamou atenção para o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota), modalidade de financiamento que apoia a aquisição de tratores, colheitadeiras, plataformas de corte, pulverizadores e plantadeiras, entre outras máquinas. “O Moderfrota permitiu uma verdadeira transformação na agricultura. Eu operei duas máquinas, sempre com ajuda dos agricultores, e além da precisão com que essas máquinas colhem e plantam, elas oferecem um grande conforto para o operador, porque tem ar condicionado e são muito confortáveis, com instalações muito boas. Isso tudo é produtividade no campo”, enfatizou.

Apesar de o Brasil ainda estar na metade da safra, os empréstimos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Sustentável (BNDES) e de outros fundos para a compra de máquinas e equipamentos já somam R$ 8,7 bilhões. De acordo com dados oficiais, o dinheiro impulsionou, em 2013, a venda de 83 mil máquinas agrícolas – um crescimento de 18% em relação a 2012.

Agricultura sustentável
Nas últimas duas décadas, com ajuda do crédito oferecido pelo Governo, a produção brasileira de grãos aumentou 221% sem avançar muito sobre áreas verdes: a área plantada cresceu 41%. “Isso é a chamada produtividade na veia, e é isso que buscamos para todo o Brasil”, enfatizou Dilma.

Para apoiar os agricultores na adoção de práticas sustentáveis de produção, o governo desenvolveu o Programa ABC, Agricultura de Baixo Carbono, que oferece crédito em condições facilitadas: juros de 5% ao ano e prazos de pagamento entre cinco e oito anos. Os beneficiados pelo programa implantam técnicas como o plantio direto na palha, a recuperação de pastagens degradadas, a integração lavoura-pecuária-floresta, a fixação biológica do nitrogênio no solo e o tratamento de resíduos animais.

“Nossos objetivos com o Programa ABC são dois: de um lado, diminuir a emissão de gases de efeito estufa, preservando os recursos naturais; e de outro, elevar, com isso, a produtividade na nossa agricultura. Por exemplo, o plantio direto na palha não só é mais sustentável, mas também muito mais produtivo. A cada safra, mais e mais produtores têm adotado essas técnicas. E, por isso, temos também ampliado os recursos para o Programa ABC, que começou pequenininho, e nesta safra já tem R$ 4,5 bilhões disponíveis“, observou Dilma Rousseff.

A presidenta ainda falou sobre o escoamento da safra de grãos. Segundo ela, o tema exige um grande esforço do governo e, entre as medidas que já foram tomadas, estão a conclusão da pavimentação da BR-163, entre Guarantã do Norte (MT) e Santarém (PA), e a concessão do trecho que liga Sinop (MT) até a divisa com o Paraná.

Catharine Rocha

 

Leia mais:

Apesar do pessimismo, produção de grãos cresce 3,6%


Leia também