Donizeti Nogueira defende reforma política e educação de qualidade

Novo senador petista tomou posse na vaga deixada por Katia AbreuA reforma política, a construção de um novo pacto federativo, o acesso universal à educação e o investimento na agricultura familiar são as principais bandeiras do mais novo integrante da bancada de Tocantins pelo PT. O senador Donizeti Nogueira foi formalmente empossado, nesta terça-feira (3), na vaga deixada pela ministra da Agricultura, Katia Abreu (PMDB-TO). Na oportunidade, ele a agradeceu pela construção de um projeto de mudança para o estado.

:: Da redação3 de fevereiro de 2015 17:49

Donizeti Nogueira defende reforma política e educação de qualidade

:: Da redação3 de fevereiro de 2015

Recém-empossado como senador da República, o petista teve cargos relevantes no Executivo tocantinense e também tem experiência com orçamento participativo. No Senado, ele garante que vai atuar com força na defesa dos direitos humanos.

A reforma política também é uma meta do petista. “Precisamos assegurar mais direito à participação política, por isso defenderei uma reforma política que deve ser construída após uma discussão profunda com todos os setores da sociedade”, prometeu, em seu primeiro pronunciamento, logo após tomar posse.

Donizeti também garantiu que vai atuar na busca da garantia de que todos os brasileiros tenham acesso à educação pública, gratuita e de qualidade. O senador também quer assegurar o acesso dos pequenos agricultores à assistência técnica e às novas tecnologias. Com o olhar voltado para seu estado, ele acredita que poderá colaborar para que o Tocantins desenvolva todo seu potencial agroindustrial.

Propostas para melhorias na gestão hídrica
Atento às grandes questões nacionais, o petista apresentou propostas para o enfrentamento da crise hídrica que se instalou no País. “Defendo que a União, em parceria com os estados e municípios, execute um programa de defesa da água, através da conscientização, do incentivo e do fomento à recuperação das matas ciliares e das áreas em desertificação”, declarou.

Para o senador, a União precisa atuar como agente planejador, mobilizador de esforços e da sociedade, agindo como articuladora e patrocinadora “de um pacto envolvendo agentes públicos, privados e a sociedade em geral, na defesa intransigente da preservação e recuperação dessa valiosa fonte de recursos naturais, de manutenção da vida e sua continuidade”.