“Dilma voltará e nós vamos discutir o nosso futuro”, diz Humberto Costa

:: Da redação8 de agosto de 2016 20:55

“Dilma voltará e nós vamos discutir o nosso futuro”, diz Humberto Costa

:: Da redação8 de agosto de 2016

“Querem modificar o modelo político e econômico sem, sem enfrentar as urnas, mas acredito que vai prevalecer a vontade do povo brasileiro”Em discurso na tarde desta segunda-feira (8), o líder do PT e do Bloco Resistência Democrática, Humberto Costa (PT-PE), disse estar confiante que a presidenta Dilma Rousseff sairá vencedora no final desse processo em que forças políticas retrógradas tentam retirá-la do poder sem que tenha cometido crime contra a Constituição. “Eu ainda tenho fé, ainda acredito que, se não amanhã, mas no final do mês, quando julgarmos definitivamente a presidenta da República, vamos restabelecer a verdade dos fatos. Nós vamos trazê-la de volta”, afirmou. 

Segundo Humberto Costa, a própria presidenta Dilma se comprometeu a chamar um plebiscito para que os brasileiros digam se devem ser antecipadas as eleições presidenciais de 2018. “Nós vamos continuar a dizer que há um desrespeito à democracia”, disse ele, acrescentando que ocorre neste momento no Brasil a tentativa de mudar a gestão política e econômica sem ser pelo voto, sem enfrentar as urnas, diante da população atônita com a tentativa de desmonte das políticas aplicadas no Brasil nos últimos 13 anos”. 

O líder citou como exemplo desse desmonte a área da Saúde, na qual é especialista. “O governo interino inventou de criar um plano de saúde popular, mas na verdade isso é uma grande enganação, porque na prática vai retirar dinheiro do pobre que já tem pouco para sobreviver. E esse plano de saúde golpista garantirá só consulta e um exame de fezes, o resto terá de buscar no SUS. O Programa de Saúde Bucal, um dos mais exitosos do governo Lula, está sob risco – já acabaram com a coordenação de Saúde Bucal”. 

“Na educação, só se fala em privatização. Reduziram os recursos do Fies, reduziram as isenções para o Pró-Uni. Estão dizendo que vão cortar as vagas do Pronatec. O Minha Casa, Minha Vida está virando um programa para rico, para quem pode pagar financiamento de R$ 3 milhões. Cortaram os recursos para o Minha Casa, Minha Vida, para os pobres. Querem privatizar o pré-sal, vender a preço de banana para as empresas multinacionais. Já disseram que vão privatizar tudo que possa ser privatizado. É desemprego, é inflação”, alertou. 

Esse é apenas um dos vários exemplos que Humberto Costa pode citar e demonstra a construção do golpe, destinado a tirar uma presidenta honesta, que não tem conta na Suíça, não tem dinheiro no exterior e nem é investigada pela Lava Jato, para colocar alguém que não tem legitimidade, não tem referência na sociedade, só nas rodas dos endinheirados da elite. 

Sombrio 

O líder Humberto Costa, em seu discurso, destacou o sucesso que foi a abertura das Olimpíadas no Rio de Janeiro, uma conquista comemorada em todos os cantos do País em 2009 quando a cidade maravilhosa foi a escolhida. Por mais que a elite esteja torcendo contra o sucesso das olímpiadas, desnudando seu complexo de vira-latas, o ato mais vergonhoso foi protagonizado pelo presidente interino Michel Temer. 

Com medo das vaias, Temer implorou para não ter seu nome citado na abertura da cerimônia. Caberia ele dizer poucas palavras: “declaro aberto os jogos”. Mas toda a estratégia montada, para ocultar o interino e para abafar as vaias não deram certo. “Não adiantou querer passar escondido, querer se esconder nas sombras como lhe é de costume. Acabou ganhando uma estrondosa vaia de um Maracanã inteiro, que não se sente representada por aquela figura pequena e golpista. Temer foi medalha de ouro em vaia já na abertura dos jogos”, afirmou. 

Esse silêncio na tentativa de ocultar sua presença no evento mundial é o mesmo expediente que tenta executar no plano interno. Temer está fugindo da imprensa e não quer falar das denúncias explosivas que pesam contra ele e dois de seus ministros, de recebimento de dinheiro vivo para caixa dois de campanhas eleitorais. 

“É um contrassenso uma presidenta da República responder por um processo por conta de decretos de suplementação orçamentária e o presidente em exercício é acusado pelo dono da maior empreiteira do Brasil de ter pedido – e recebido – R$ 10 milhões na forma de caixa dois e em dinheiro, e não haver sequer uma investigação”, cobrou. 

Humberto disse que não há problema para não se investigar Temer, Serra e Eliseu Padilha. “Uma delação contra o ministro das Relações Exteriores, José Serra, diz que teria recebido R$ 23 milhões em caixa dois, inclusive fora do Brasil. Tem que se investigar todos e rápido, porque se for mentira há uma injustiça e se for verdade, há uma injustiça contra todo o povo brasileiro”.