Em artigo, Gleisi Hoffmann promete resistir a “impeachment forjado”

:: Da redação1 de agosto de 2016 12:17

Em artigo, Gleisi Hoffmann promete resistir a “impeachment forjado”

:: Da redação1 de agosto de 2016

Gleisi: querem criar um clima de resultado certo pró-TemerA senadora Gleisi Hoffmann afirma, em artigo publicado nesta segunda-feira (1º), que o impeachment forjado da presidenta Dilma Rousseff ainda não está sacramentado – como tentam mostrar o governo provisório de Michel Temer e setores da mídia tradicional aliados do governo golpista.

Gleisi taxa como irresponsável a matéria do jornal O Globo intitulada “Dilma e o PT viram a página”, onde um interlocutor oculto afirma que o PT desistiu de lutar pelo retorno da presidenta ao cargo conquistado nas últimas eleições.

“O movimento entre os senadores que são contra o golpe é intenso, não só nos argumentos da defesa como também nas conversas com colegas que têm dúvidas sobre o processo e não querem entrar para a história como partícipes de um golpe parlamentar”, destaca a senadora.

Para a senadora, manchetes como a veiculada pelo jornal da família Marinho demonstram o temor do governo golpista com o resultado final do processo de impeachment. “Querem criar um clima de resultado certo pró-Temer”, afirma.

Confira a íntegra do artigo:

O impeachment não é “favas contadas” – Gleisi Hoffmann

Apesar do governo interino de Michel Temer, junto com a grande mídia, esforçar-se para mostrar que a votação pró impeachment no Senado está resolvida, não é isso que acredita, e quer, grande parte da população brasileira, como também a maioria absoluta dos senadores que é necessária para aprovar o afastamento definitivo da presidenta.

Ontem, 31 de julho, chegou a ser constrangedor o esforço do jornal O Globo que, com irresponsabilidade e má fé, fez uma manchete mentirosa, baseada em fofocas de quem não se identificou, afirmando que o PT desistiu de lutar pela volta de Dilma ao Palácio do Planalto. Quem passou essa avaliação, se é que passou, é desinformado e oportunista.

O movimento entre os senadores que são contra o golpe é intenso, não só nos argumentos da defesa como também nas conversas com colegas que têm dúvidas sobre o processo e não querem entrar para a história como partícipes de um golpe parlamentar.

Essa manchete, para mim, somente demonstra que o governo golpista e seus apoiadores midiáticos estão temerosos com o resultado da votação do impeachment no Senado e querem criar um clima de resultado certo pró-Temer. Não vamos aceitar isso, nem permitir que fatos como esse tragam desânimo e enfraquecimento a resistência que estamos fazendo. A vida dos golpistas não será fácil! Nós vamos resistir e enfrentar!

Outros senadores questionaram a matéria de O Globo. Ao ir para São Paulo, para participar de ato contra Temer e a favor da democracia, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) postou nas redes sociais: “Estou indo agora pra São Paulo, onde participarei do grande ato pelo Fora Temer! Isso é atitude de quem jogou a toalha? Vamos ocupar as ruas, vamos barrar o golpe!”

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), um dos articuladores contra o impeachment, também se posicionou: “Hoje estou seguro que teremos plebiscito devolvendo ao povo decisões e mais de 30 senadores derrubam o impeachment. Calma nas ruas!”

Soma-se a isso o fato de que o Ministério Público Federal arquivou, por não considerar crime, o procedimento penal sobre as pedaladas fiscais, principal acusação contra a presidenta Dilma no processo de impeachment. Como os senadores julgarão a presidenta sem ela ter cometido um crime?!

Neste domingo, em várias cidades, o povo foi às ruas contra o golpe, contra Temer, em defesa da democracia e do direito do povo de decidir seu destino! Isso mostra que vai ter luta, muita luta por tudo o que já foi conquistado e pela democracia brasileira, valor maior conquistado nos últimos trinta anos!

No Senado, vamos resistir a esse impeachment forjado! #NãoPassarão

Leia mais:

Cai a máscara: Estadão investe no golpe e relativiza vontade da maioria

Voto em separado e depoimento de procurador podem alterar rumos do impeachment

Leia também