#LulaLivre

Indígenas pedem demarcação de terras e libertação de Lula

Lideranças do Acampamento Terra Livre, em Brasília, pediram apoio para a luta pela demarcação de novas terras e pelos direitos dos povos indígenas
:: Carlos Mota25 de abril de 2018 12:25

Indígenas pedem demarcação de terras e libertação de Lula

:: Carlos Mota25 de abril de 2018

A senadora e presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), recebeu uma carta assinada por povos tradicionais pedindo liberdade ao ex-presidente Lula. O documento foi entregue nesta quarta-feira (25), em Brasília, durante reunião entre lideranças indígenas e a Bancada da Oposição no Senado.

A comitiva, que foi ao Senado reivindicar agilidade na demarcação de terras indígenas, faz parte da mobilização Acampamento Terra Livre, reunida em Brasília entre os dias 23 e 27 de abril. O evento conta com a participação de cerca de quatro mil pessoas de todas as regiões do país, representando mais de 100 tribos.

“Não tenha dúvida, presidente [Lula]: nossos arcos e flechas, nossas bordunas estão empunhados porque compreendemos a guerra em que estamos e que agora enfrentamos, mas sabemos o nosso lado na história”, diz um trecho da carta.

Em nome do ex-presidente, a senadora Gleisi agradeceu a manifestação de apoio e afirmou que a carta chegará às mãos de Lula. “Ele sabe do acampamento e já tínhamos noticiado que vocês teriam reunião conosco. Mandou dizer que está bem – indignado, mas bem. Essa solidariedade do movimento é fundamental para a gente conseguir liberá-lo”.

Ainda segundo a presidenta do PT, a maioria dos problemas enfrentados atualmente no país deve-se a um governo que “não olha de forma ampla e diversificada para o Brasil”, não incluindo nas políticas públicas todos os povos e raças.

Indígenas em Curitiba

Cerca de 200 índios irão para Curitiba (PR) neste final de semana, de acordo com o coordenador do Conselho Indígena de Roraima, Mário Nicácio, da etnia Wapichana. Eles devem se juntar a diversas comitivas que se dirigem ao Paraná para as manifestações a favor de Lula Livre, no dia 1º de maio.

Lula é disparado o principal candidato à presidente da República entre os indígenas. De acordo com recente pesquisa DataFolha, o ex-presidente tem 48% das intenções de voto das etnias tradicionais.

‘Contaminação’ na Funai

Durante a reunião com os(as) parlamentares, os indígenas também pediram apoio.

“Viemos reivindicar que o PT e os demais os parlamentares de esquerda possam fortalecer ainda mais a luta em defesa dos direitos dos povos indígenas e contra os projetos que violam esses direitos”, afirmou o indígena mais votado entre os vereadores do país, Weiber Tapeba (PT), do município de Caucaia (CE).

O vereador Weiber ainda denunciou a “contaminação” de indicações políticas na Fundação Nacional do Índio (Funai) por parte da Bancada Ruralista no Congresso Nacional. Segundo ele, essas influências têm dificultado a demarcação de novas terras indígenas no país.

No final do encontro, Weiber Tapeba também pediu à presidenta do PT que organize um encontro nacional com parlamentares indígenas.

A reunião foi coordenada pelo vice-líder do PT no Senado, Paulo Rocha (PT-PA). Também participaram os(as) senadores(as) Fátima Bezerra (PT-RN), Humberto Costa (PT-PE), Jorge Viana (PT-AC), José Pimentel (PT-CE), Regina Sousa (PT-PI) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

 

Confira a fala do vereador Weiber Tapeba (PT-CE):

Leia também