Em debate, os novos desafios dos gestores municipais do PT

:: Da redação2 de abril de 2012 15:52

Em debate, os novos desafios dos gestores municipais do PT

:: Da redação2 de abril de 2012

A Comissão de Acompanhamento das Eleições 2012, criada pelo Diretório Nacional do Partido, realizará, dias 16 e 17 de maio, em Porto Alegre, o Seminário Nacional sobre o Programa de Governo do PT.

Definido como um dos pontos estruturais da estratégia do partido para as eleições municipais de outubro, o Seminário será realizado para dialogar com candidatas e candidatos à Prefeitura pelo partido sobre o Modo Petista de Governar, a partir da exposição das experiências recentes do partido à frente de governos locais. Além disso, o seminário também vai auxiliar os candidatos a identificar quais são os novos desafios para as administrações municipais diante dos atuais cenários nacional e internacional e quais são as novas necessidades dos cidadãos geradas pelo novo patamar de desenvolvimento que o Brasil vem experimentando desde o primeiro governo Lula, a partir de 2003.

O PT vai entrar em sua sétima geração de chefes do executivo municipal. Desde 1982, quando elegeu seus dois primeiros prefeitos, passando pelas primeiras eleições nas capitais em 1985 (depois de anos de interventores durante a ditadura) e, principalmente, a partir de 1988, o PT passou a figurar como um partido de bons governos municipais, administrando cidades grandes, médias e pequenas, implantando o Modo Petista de Governar.

Desde essas primeiras conquistas, a força do partido só tem feito crescer. Dos municípios e capitais, seus representantes também passaram a governar estados, até que, com a vitória de Lula na eleição presidencial de 2002, deu-se inicio à grande mudança que o País reclamava havia mais de um século. Com Lula no Palácio do Planalto, o Brasil passou a viver outro modelo de desenvolvimento, centrado em distribuição da renda, inclusão social, criação de empregos e forte ênfase na educação e na sustentabilidade econômica, social e ambiental. Criou, em âmbito nacional, a Secretaria de Assuntos Federativos, SAF, que coordena as ações federais junto às administrações municipais e faz a interlocução com a agenda dos municípios brasileiros.

Muitos avanços foram obtidos nesta área, fortalecendo o pacto federativo e constituindo atores permanentes no diálogo pela implementação de políticas públicas nacionais que, na prática, concretizam-se com a participação dos governos locais.
Mas, da mesma forma que as conquistas dos governos do PT geram novas demandas, novos desafios e questionamentos também se multiplicam:

Quais são os desafios das cidades brasileiras no momento atual de um Brasil que se desenvolve e se fortalece economicamente?

Como superar os gargalos urbanos acumulados ao longo do tempo, que transformam nossas cidades em palcos de violência, tráfico, trânsito caótico, sistema de transporte de massa e atenção à Saúde Pública deficientes?

Quais as novas formas e avanços na participação popular e na democracia local?

Quais as formas mais eficientes e atualizadas de comunicação com a população?

Os municípios têm um papel específico no Projeto de desenvolvimento Nacional?

O PT tem uma agenda chamada municipalista? Qual é esta agenda hoje?

Qual a centralidade do Programa de Governo nas eleições municipais?

Como desenvolver e debater o Programa na Campanha Eleitoral?

Há inovações nas administrações petistas no último período que se incorporam positivamente ao Modo Petista de governar?

Estas são algumas das questões a serem debatidas e respondidas no Seminário do Programa de Governo para as Eleições de 2012, o Modo Petista de governar. Conheça o site construído especialmente para o evento. Faça sua inscrição.

Leia também