Poder feminino

Fátima Bezerra é a única governadora eleita

Fátima: “Quero dizer da minha alegria de ser a única governadora eleita, na terra onde a mulher votou pela primeira vez. O Rio Grande do Norte terá a primeira governadora de origem popular”
:: Rafael Noronha29 de outubro de 2018 16:00

Fátima Bezerra é a única governadora eleita

:: Rafael Noronha29 de outubro de 2018

A atual senadora Fátima Bezerra (PT) foi eleita no último domingo (28) a próxima governadora do Rio Grande do Norte. Assim, a partir de 1º de janeiro do próximo ano, Fátima será a única mulher a governar um estado brasileiro.

Com a eleição de Fátima Bezerra confirmada no segundo turno das eleições deste ano, o PT se torna o partido com o maior número de governadores eleitos pelo País (4).

Além do Rio Grande do Norte, o PT elegeu outros três governadores – todos no primeiro turno: Bahia (Rui Costa), Ceará (Camilo Santana) e Piauí (Wellington Dias).

A eleição de Fátima Bezerra também tornou o Rio Grande do Norte no estado do País que mais elegeu mulheres como governadoras em sua história. Antes de Fátima Bezerra, foram eleitas Wilma de Faria (em 2002 e 2006) e Rosalba Ciarlini, em 2010.

No discurso da vitória, realizado ainda na noite de ontem, Fátima destacou o feito ao lembrar Nísia Floresta, pioneira do movimento feminista no Brasil, e fato de o Rio Grande do Norte ser o primeiro estado brasileiro a liberar o voto feminino.

“Quero dizer da minha alegria de ser a única governadora eleita porque a minha eleição ocorre na terra de Nísia Floresta, na terra onde a mulher votou pela primeira vez. O Rio Grande do Norte terá a primeira governadora de origem popular”, destacou Fátima.

Entre as principais propostas da governadora eleita, está a recuperação do Plano Estadual de Educação, criação de escolas em tempo integral e expansão do ensino profissionalizante (educação); a criação de uma rede de policlínicas para consultas com especialistas e a reformulação dos hospitais regionais (saúde); e a realização de concursos públicos, a instalação de câmeras de videomonitoramento e a instituição de seguro de vida para policiais militares (segurança).

Maria de Fátima Bezerra é natural de Nova Palmeira, na Paraíba. Formada em pedagogia, tem 63 anos e exerce atualmente seu primeiro mandato como senadora. Foi professora da rede pública na prefeitura de Natal e no governo estadual.

Como senadora, atualmente Fátima preside a Comissão de Desenvolvimento Regional (CDR) e foi vice-presidenta da Comissão de Educação (CE). Entre seus projetos aprovados, um dos destaques é a Política Nacional de Leitura e Escrita. Idealizada pela senadora, a lei institui política permanente de promoção e de universalização do direito ao acesso ao livro, à leitura, à escrita, à literatura e às bibliotecas, em todo o País.

É filiada ao PT desde 1981, legenda pela qual iniciou e segue na vida pública. Foi deputada estadual por dois mandatos (1994 e 1998). Em 2002, foi eleita deputada federal, sendo reeleita em 2006 e 2010. Em 2014 elegeu-se senadora, derrotando a ex-governadora Wilma de Faria. Como ainda teria quatro anos de mandato no Senado, Fátima deve renunciar ao cargo em janeiro para assumir o Executivo estadual.

Seu primeiro suplente é o empresário do setor eólico Jean-Paul Prates (PT), que deve cumprir os próximos quatro anos do mandato no Senado.

Jean-Paul Prates é advogado e economista. Mestre em Planejamento Energético e Gestão Ambiental pela Universidade da Pennsylvania; Mestre em Economia do Petróleo pelo Instituto Francês do Petróleo. Tem mais de 20 anos de experiência na concepção e execução de centenas de projetos nas áreas de petróleo, gás natural, biocombustíveis e energia renovável. Foi Secretário de Estado de Energia do Rio Grande do Norte, onde fixou residência desde 2005.

Confira a reação dos senadores a eleição da senadora:

 

Leia também