Financiamento imobiliário bateu recorde em 2013

:: Da redação21 de janeiro de 2014 15:14

Financiamento imobiliário bateu recorde em 2013

:: Da redação21 de janeiro de 2014

Com crescimento projetado de 15% para este ano, espera-se novo recorde.

 

Entre janeiro e dezembro de 2013, foram financiados
529,8 mil imóveis, enquanto o ano anterior
registrou 453,2 mil imóveis financiados

Os financiamentos imobiliários no País com recursos das cadernetas de poupança registraram novo recorde histórico em 2013, alcançando R$ 109,2 bilhões, informou nesta terça-feira (21) a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Na prática, isso representa um crescimento de 17% no total de imóveis financiados ao longo do ano passado, na comparação com 2012. Entre janeiro e dezembro de 2013, foram financiados 529,8 mil imóveis, enquanto o ano anterior registrou 453,2 mil imóveis financiados.

Segundo a Abecip, aspectos positivos da economia brasileira, como baixo desemprego e queda da inadimplência, fizeram a procura por crédito disparar. Em relação aos valores financiados, o crescimento é ainda mais expressivo que no número de imóveis: 32%.

O crescimento superou largamente a projeção da entidade. A Abecip projetava expansão de 15% nos desembolsos em 2013. Importante lembrar que os dados da Abecip não incluem empréstimos com recursos do FGTS, como os empréstimos no programa “Minha Casa Minha Vida”.

Ao todo, em 2013, foram financiadas 529,8 mil imóveis com recursos da poupança, avanço de 17% ante um ano antes.

Somente em dezembro, foram desembolsados R$ 10,4 bilhões, aumento de 17% em relação a igual mês de 2012.

Só em dezembro de 2013, o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis somou R$ 10,4 bilhões, 2,3% acima do resultado de novembro e 17% acima do mesmo mês de 2012. No mês, foram financiadas aquisições e construções de 50,9 mil imóveis, alta de 7% em relação a novembro e de 19% sobre o mesmo mês de 2012.

“O crescimento do crédito imobiliário está destoando do crédito no país em 2013, que deve crescer em geral entre 15%”, disse, nesta terça-feira (21), pela manhã, o presidente da Abecip, Octavio de Lazari Junior. “O crédito imobiliário retomou o lugar que é seu por direito, ser a carteira de crédito mais importante para pessoa física no Brasil.”

Menos desemprego e mais renda
O crescimento de 32% no volume de financiamentos surpreendeu o próprio setor, que previa um aumento entre 15% e 20%, revela o presidente da Abecip. Ele credita o bom resultado de 2013 ao baixo desemprego, ao crescimento da renda, a confiança do consumidor e a baixa inadimplência. “A inadimplência está absolutamente controlada, estamos falando num índice de 1,8% em 2013”, afirmou ao jornal carioca.

De acordo com a Abecip, o resultado de 2013 apresenta crescimento expressivo se comparado com o resultado de 2012, quando totalizou R$ 82,8 bilhões ante os R$ 79,9 bilhões de 2011, leve alta de apenas 3,6%.

A entidade mostra que a trajetória de recuperação do crédito imobiliário em 2013 tornou-se mais expressiva a partir do segundo trimestre do ano passado. Em fevereiro, por exemplo, foram financiadas 29,3 mil unidades financiadas, a menor quantidade mensal do ano.

Aquisição lidera alta
O que puxou a alta do crédito no ano passado foram os financiamentos para aquisição.

Dados da entidade mostram que em 2013 o mutuário continuou demandando o crédito, com alta de 41% na quantidade de financiamentos para aquisição de imóveis, totalizando R$ 76,9 bilhões dos R$ 109,2 bilhões desembolsados.

Os desembolsos para construção totalizaram R$ 32,3 bilhões, um crescimento de 15% sobre 2012.

Previsões para 2014
De acordo com o presidente da Abecip, a estimativa é de crescimento ao redor de 15%, para R$ 126 bilhões, o que seria um novo recorde histórico.

 

Fontes G1, Valor Online

Leia também