Gás: Petrobras é a grande vencedora das licitações

"O gás aparece como fonte de energia importante, relevante no Brasil e no mundo”, avaliou a ANP

 

:: Da redação29 de novembro de 2013 13:52

Gás: Petrobras é a grande vencedora das licitações

:: Da redação29 de novembro de 2013

gas

O valor total do bônus de assinatura a ser pago
é de R$ 120 milhões, além dos R$ 23 milhões a
serem pagos pelos parceiros (Petrobras)

A Petrobras adquiriu, integralmente ou em parceria, 49 blocos, dos 50 disputados, na 12ª Rodada de Licitações realizada nesta quinta-feira (28/11) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Dentre os blocos arrematados, 22 foram em parceria, sendo 16 que operamos e 6 operados por parceiros. O valor total do bônus de assinatura a ser pago é de R$ 120 milhões, além dos R$ 23 milhões a serem pagos pelos parceiros. A soma desses montantes, que atinge aproximadamente R$ 143 milhões, corresponde a 87% do total de bônus a ser arrecadado no certame.

Além do bônus de assinatura, também foram considerados como critérios de julgamento do leilão, o programa exploratório mínimo (PEM) a ser aplicado no bloco, expresso em unidades de trabalho (UTs), e os percentuais de conteúdo local nas fases de exploração e desenvolvimento da produção.

Os blocos oferecidos na 12ª Rodada de Licitações estão localizados em bacias de novas fronteiras exploratórias e em bacias maduras. A estratégia adotada no leilão alinha-se aos objetivos da Petrobras de aumentar reservas e produção de gás natural nas proximidades de facilidades de produção existentes, através da ampliação do conhecimento das bacias sedimentares brasileiras e diversificação do investimento exploratório. A participação em consórcio está em linha com o objetivo de fortalecer as parcerias com empresas nacionais e estrangeiras para fins de integração de conhecimento e tecnologias utilizadas nas atividades de exploração e produção onshore (terrestre).

Empresas

Empresas como a Petrobras, Cowan, Petra Energia, Alvopetro, e as estrangeiras GeoPark (Bermudas) e Trayectoria (Panamá), venceram o arremate de 72 blocos licitados para exploração em cinco bacias sedimentares (Paraná, Parnaíba, Sergipe-Alagoas, Acre e Recôncavo). A Petrobras arrematou a maior parte dos blocos (49), tanto como parte integrante de consórcios com outras empresas quanto sozinha como operadora vencedora.

“A palavra que usei pra definir essa rodada foi para semear a cultura do gás natural em terra, Semeamos e vamos continuar semeando, porque como falei na abertura, 20 anos atrás perfurar um poço e achar gás era pior que achar poço seco. Hoje o cenário não é esse. O gás aparece como fonte de energia importante, relevante no Brasil e no mundo. Essa cultura precisa ser semeada e estamos fazendo isso”, avaliou Magda Chambriard, diretora-geral da ANP.

Dentre as bacias de novas fronteiras, localizadas em áreas com pouca informação geológica ou com barreiras tecnológicas a serem vencidas, há investimentos prioritário nas bacias do Paraná e Acre-Madre de Dios, buscando identificar novas províncias produtoras com foco em gás natural. Nessas bacias, foram adquiridos 10 blocos. Nas bacias maduras, foram arrematados todos os 39 blocos apresentadas propostas. Foram feitas ofertas para ambas as bacias de Sergipe-Alagoas e Recôncavo, em blocos próximos a áreas em produção que podem oferecer sinergias com a infraestrutura já existente no local.

 quadro-anp

A incorporação dessas novas áreas está alinhada aos investimentos exploratórios previstos no Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 da Petrobras, que dará continuidade ao investimento em exploração no Brasil, garantindo a recomposição do portfólio, aproveitando sinergias existentes e disponibilizando os volumes de petróleo e gás natural necessários para a sustentabilidade da curva de produção.

Leilão

Na 12ª Rodada de Licitações, a ANP ofertou 240 blocos exploratórios terrestres com potencial para gás natural em sete bacias sedimentares, localizados nos estados do Amazonas, Acre, Tocantins, Alagoas, Sergipe, Piauí, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Maranhão, Paraná, São Paulo, totalizando 168.348,42 Km².

Foram 110 blocos em áreas de novas fronteiras nas bacias do Acre, Parecis, São Francisco, Paraná e Parnaíba, como forma de atrair investimento para regiões ainda pouco conhecidas ou com barreiras tecnológicas a serem vencidas, permitindo o surgimento de novas bacias produtoras de gás natural e de recursos petrolíferos convencionais e não convencionais. A área desses 110 blocos é de 164.477,76 Km².

Também foram incluídos 130 blocos nas bacias maduras do Recôncavo e de Sergipe-Alagoas, com o objetivo de dar continuidade à exploração e produção de gás natural a partir de recursos petrolíferos convencionais e não convencionais contidos nessas regiões. Esses 130 blocos totalizam 3.870,66 Km²

Blog Fatos e Dados e Blog do Planalto

Leia também