Gleisi critica ações para “melhorar” finanças paranaenses

As “mágicas” adotadas pelo governo do Paraná para fazer frente às finanças públicas voltaram a ser o assunto do pronunciamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). Nesta segunda-feira, munida de jornais locais, ela demonstrou a verdadeira dança executada pelo governador tucano Beto Richa para driblar os gastos. O problema é que as soluções de Richa são todas equivocadas, na visão da senadora.

:: Da redação8 de dezembro de 2014 17:10

Gleisi critica ações para “melhorar” finanças paranaenses

:: Da redação8 de dezembro de 2014

 

“Em vez de cortar cargos comissionados, em vez de cortar verba de comunicação, de publicidade, que aumentou em mais de 800%, estava cortando verbas de custeio, combustível, passagens, uma série de gastos que são essenciais para o cumprimento da função pública”, disse a senadora, que também denunciou  o adiamento do pagamento e até o parcelamento dos direitos trabalhistas dos servidores públicos paranaenses. “Onde nós estamos, em que os servidores públicos vão tirar férias, não vão receber o terço de férias e vão ter esse terço parcelado em três vezes? Ou seja, os servidores não terão condições de usufruir as férias com as suas famílias”, lamentou.

Reter os recursos das férias dos trabalhadores, para o governador tucano, é uma forma de conter despesas. Mas que não deve funcionar. Afinal, o sindicato da categoria vai recorrer à Justiça para garantir um direito líquido e certo.

Outra medida de “austeridade” do governador paranaense é a taxação das aposentadorias dos inativos, que terão que recolher para a previdência estadual,  mesmo depois de terem se tornado inativos.

Também haverá outras mágicas, como o aumento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), fim da isenção tributária sobre os produtos da cesta básica e aumento dos valores de pedágios. “O pior é que, uma semana depois da eleição, ele ( o governador) já tinha soltado um pacote de medidas cortando 30% do custeio da máquina”, denunciou Gleisi.

Arrecadação recorde

Gleisi ressaltou que o Paraná é dos estados brasileiros que mais arrecada. “O que nós vemos é que o Paraná é o Estado que mais aumentou a sua arrecadação nos últimos quatro anos: 69%  e a receita líquida do Paraná foi a que mais cresceu em comparação com os outros Estados. Cresceu 56%..

“Então isso quer dizer que o Estado do Paraná tem receitas, tem recursos, tinha dinheiro em caixa. Não se justificam, portanto, as medidas que estão sendo tomadas, a não ser pelo descontrole administrativo, pela má gestão, pela ineficiência”, disse.

A senador a conclamou o povo do Paraná para que proteste, vá para a Assembleia Legislativa e não deixe prosperar “esse pacotaço que está para ser votado na semana que vem”. 

Leia também