Gleisi Hoffman: Governo não está discriminando o estado do Paraná

Senadora critica situação econômica do estado, que hoje conseguiu aprovação de empréstimo.

:: Da redação18 de fevereiro de 2014 16:00

Gleisi Hoffman: Governo não está discriminando o estado do Paraná

:: Da redação18 de fevereiro de 2014

“O estado nunca viveu uma situação tão grave,
com rombo nas contas públicas, atraso nas contas
de água e energia e até falta de combustível para
as viaturas policiais” (Agência Senado)

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) criticou, nesta quarta-feira (18), durante reunião da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) a atual situação fiscal e contábil do Paraná, que dificultou a concessão de um empréstimo de US$ 60 bilhões do o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). “O estado nunca viveu uma situação tão grave, com rombo nas contas públicas, atraso nas contas de água e energia e até falta de combustível para as viaturas policiais”, disse. Tudo isso, enquanto o atual governo fez crescer em 122% as despesas de custeio, “o que praticamente inviabiliza qualquer investimento”.

A autorização para o que o estado contraia o empréstimo foi aprovada na reunião de hoje da CAE .Os recursos serão aplicados no Programa Integrado de Inclusão Social e Requalificação Urbana – Família Paranaense. Gleisi lamentou que a as autoridades paranaenses tenham necessitado fazer sucessivas correções na documentação necessária à autorização do empréstimo com o BID. “Quando as contas estão em ordem e se cumpre a lei, as coisas andam rápido”, afirmou ,explicando que o governo do Paraná concluiu a apresentação de relatórios e documentos necessários ao trâmite do processo apenas em 26 de novembro. 28 dias depois, na véspera de Natal, a mensagem com a solicitação da autorização foi assinada pela presidenta Dilma, o que demonstra a agilidade do Governo Federal na análise da operação e na elaboração da mensagem presidencial solicitando a autorização do Senado para a operação.

“Isso desmente as acusações levianas de que o Governo Federal estaria agindo com discriminação contra o estado do Paraná”, afirmou a senadora, que pediu que a autorização de crédito seguisse para o Plenário em regime de urgência.

Família Paranaense
Ela elogiou o Programa Família Paranaense, que será beneficiado com os US$ 100 milhões viabilizados pelo empréstimo — além dos 60 milhões do BID, o estado fará um aporte de mais US$ 40 milhões, a título de contrapartida. “Esses recursos vão contribuir para capacitar e acompanhar as famílias mais carentes do estado”. O programa também prevê transferência de renda, nos moldes do Bolsa Família. “É gratificante testemunhar que os críticos desse vitorioso programa do Governo Federal aderiram à revolução que o Bolsa Família vem promovendo no Brasil , o que o transformou em referência e modelo para iniciativas de combate à miséria em vários países do mundo”, comemorou a senadora.

Ela destacou, ainda, que os US$ 100 milhões (R$ 239 milhões) que o Paraná aplicará no programa, em cinco anos, equivale a cerca de um terço de todo o investimento do Governo Federal no estado, apenas com o Bolsa Família, ao longo do ano de 2013. “Foram RS$ 677 milhões, sem contar os recursos do Pronatec, do Minha Casa Minha Vida e outros programas federais”, concluiu Gleisi.

Leia também