Gleisi Hoffmann enumera os verdadeiros motivos para o impeachment de Dilma

:: Giselle Chassot6 de maio de 2016 15:53

Gleisi Hoffmann enumera os verdadeiros motivos para o impeachment de Dilma

:: Giselle Chassot6 de maio de 2016

Gleisi: Afastar Dilma é como punir infração de trânsito com pena de morteAfastar a presidenta Dilma Rousseff pelas acusações que constam do relatório do tucano Antônio Anastasia é como punir uma infração de trânsito com a pena de morte. Falando em nome do Partido dos Trabalhadores na Comissão Especial do Impeachment que analisa, nesta sexta-feira (6), a admissibilidade do processo contra a presidenta, a senadora Gleisi Hoffmann (PR) deixou claro que os motivos que levam os adversários a defender o golpe são muito diferentes do que eles ousam colocar no papel.

No relatório, os golpistas condenam a assinatura de seis decretos com créditos suplementares. Decretos que não ameaçaram a meta fiscal, assinados em agosto de 2015, e o Tribunal de Contas da União (TCU) só passou a considerar esse tipo de operação irregular a partir de outubro do mesmo ano. Vale recordar uma máxima do Direito: a Lei não pode retroagir em desfavor do réu. A segunda acusação é de atraso de seis meses na subvenção do Plano Safra.

Outro problema detectado pela senadora paranaense e os demais governistas e reforçado inúmeras vezes nas sessões da comissão é o fato de o TCU, em momento algum, ter alertado o governo de que seria ilegal emitir decretos suplementares que estariam em desacordo com a meta fiscal e sem autorização do Congresso. Essa é uma das atribuições legais do TCU mas o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal, Júlio Marcelo de Oliveira admitiu, ao plenário da comissão, que esses alertas jamais foram dados. Mais; em tom de desprezo, disse que o TCU não é “babá” do governo.

 

Conjunto da obra

Com fracas argumentações técnicas, a oposição, na verdade, quer afastar a presidenta pelo “conjunto da obra”. Para a senadora, eis o elenco do tal “conjunto da obra”:

·         – A presidenta não é afeita ao jogo político. “Não dá tapinhas nas costas, não conversa sobre cargos nem faz o jogo diário da política, debatendo com parlamentares

·         – Ela enfrentou grandes corporações. Um exemplo é a reação dos médicos ao programa Mais Médicos, que acabou se mostrando um sucesso absoluto

·         – Os programas sociais são prioridade. Mudaram a vida de milhares de pessoas

·         – Dilma investiu na concessão de portos e aeroportos, reduzindo custos

·         – O programa Minha Casa, Minha Vida se consolidou e, se não for podado, encerrará o ano com a entrega de seis milhões de unidades.

·         – O último Plano Safra, deve garantir R$ 2 trilhões para a economia nacional

·         – O Ciência Sem Fronteiras garantiu acesso ao estudo em diversos países para centenas de jovens

·       –   A Administração pública foi absolutamente transparente e garantiu que denúncias contra a corrupção fossem apuradas com independência pela Polícia Federal, Ministério Público e Ministério da Justiça

Além disso, relatou a senadora, a presidenta Dilma precisou enfrentar a maior campanha midiática de desconstrução de uma pessoa jamais vista neste país. Houve ataques misóginos de toda ordem por parte de uma elite que não admite a possibilidade de ver uma mulher no comando.

Gleisi disse ainda que a peça de acusação contra a presidenta é uma injustiça e um golpe não só contra a presidenta, mas contra a democracia. Segundo afirmou, quem coloca sua digital nesse processo entrará para a História como golpista. Ela encerrou, dedicando à presidenta o poema Romance LI ou das sentenças, de Cecília Meirelles. Veja abaixo:

 

Romance LI ou das sentenças

Cecília Meireles

 

Já vem o peso do mundo

com suas fortes sentenças.

Sobre a mentira e a verdade

desabam as mesmas penas.

Apodrecem nas masmorras,

juntas, a culpa e a inocência.

O mar grosso irá levando,

para que ao longe se esqueçam,

as razões dos infelizes,

a franja das suas queixas,

o vestígio dos seus rastros,

a sua inútil presença.

 

Já vem o peso da morte,

com seus rubros cadafalsos,

com suas cordas potentes,

com seus sinistros machados,

com seus postes infamantes

para os corpos em pedaços;

já vem a Jurisprudência

interpretar cada caso,

– e o Reino está muito longe,

– e há muito ouro no cascalho,

– e a Justiça é mais severa

com os homens mais desarmados.

 

Já vem o peso da usura,

bem calculado e medido.

Vice-reis, governadores,

chanceleres e ministros,

por serem tão bons vassalos,

não pensam mais nos amigos:

mas há muita barra de ouro,

secretamente, a caminho;

mas há pedras, mas há gado

prestando tanto serviço

que os culpados com dinheiro

sempre escapam aos castigos.

 

Já vem o peso da vida,

já vem o peso do tempo:

pergunta pelos culpados

que não passarão tormentos,

e pelos nomes ocultos

dos que nunca foram presos.

Diante do sangue da forca

e dos barcos do desterro,

julga os donos da Justiça,

suas balanças e preços.

E contra seus crimes lavra

a sentença do desprezo

 

Giselle Chassot

 

Leia mais:

Gleisi pede suspensão do processo contra Dilma até decisão sobre validade de atos de Eduardo Cunha

Pimentel diz que Senado deve ter cautela na votação do impeachment

Cardoso afirma que relatório de Anastasia não prova crime de responsabilidade

Voto em separado de Humberto Costa denuncia “golpe de voz mansa”

Leia também