cpi da covid

Humberto pede nova convocação do ministro da Saúde

No documento entregue à CPI da Covid, Humberto Costa diz que Queiroga “foi lacônico em muitos aspectos
:: Assessoria do senador Humberto Costa11 de maio de 2021 10:35

Humberto pede nova convocação do ministro da Saúde

:: Assessoria do senador Humberto Costa11 de maio de 2021

Titular da CPI da Covid, o senador Humberto Costa (PT-PE) protocolou, na tarde dessa segunda-feira (10), um novo pedido de convocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Para o parlamentar, o ministro deixou muitas perguntas sem respostas e, mais do que isso, esquivou-se de prestar contas ao Senado sobre atos que estavam prontos e só foram divulgados após o fim do seu depoimento.

No documento entregue à comissão, Humberto diz que Queiroga “foi lacônico em muitos aspectos, inclusive e sobretudo porque alegou estar há poucos dias na condição de ministro da Saúde”.

“Isso, por si só, já foi um gesto desrespeitoso. Ele deveria ter estudado os temas para vir ao depoimento minimamente munido. Sua fala também foi contraditória em diversos aspectos”, disse.

O senador, que já foi ministro da Saúde, afirmou que, mesmo médico e tendo presidido a Sociedade Brasileira de Cardiologia, que condenou o uso da cloroquina, da azitromicina, da ivermectina e da hidroxicloroquina contra a covid, o ministro fez de tudo para não confrontar Bolsonaro. “E mais: até hoje, não revogou portaria do Ministério que prescreve o uso de medicação para esse fim”, ressaltou.

Humberto criticou ainda Queiroga por não ter trazido ao conhecimento da CPI o fato de que sua pasta, dois dias antes, tinha editado uma portaria dispondo sobre procedimentos de cobrança administrativa e de instauração de tomada de contas especial em relação a recursos do Ministério da Saúde, aumentando a pressão sobre estados e municípios.

“Essa portaria mostra que há uma ação coordenada no governo federal para minar nossos esforços e evitar a apuração das mais de 420 mil mortes a que chegamos até agora. Não vamos nos desviar. Não vamos perder a nossa rota”, disse Humberto.

Confira a íntegra da matéria

Leia também