Instituto Lula e PGR contestam manchete de O Estado de S. Paulo

Presidente da entidade diz que jornal “induziu leitores ao erro”. Procurador ainda não analisou depoimento.

:: Da redação9 de janeiro de 2013 12:42

Instituto Lula e PGR contestam manchete de O Estado de S. Paulo

:: Da redação9 de janeiro de 2013

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), classificou nesta quarta-feira (09/01) de “absurda” a possibilidade de abertura de investigação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, segundo o publicitário Marcos Valério, teve despesas pessoais pagas pelo esquema que ficou conhecido como mensalão. Tanto o Instituto Lula quanto a própria Procuradoria Geral da República publicaram nota à imprensa sobre o erro contido na manchete do jornal O Estado de S. Paulo de hoje: “MPF vai investigar Lula”.

O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, assina a nota sobre o erro cometido pelo jornalão paulista. “Em relação á manchete de primeira página do jornal O Estado de S. Paulo de hoje, segundo a qual o ‘MPF vai investigar Lula’, lamento profundamente que o jornal tenha induzido ao erro seus leitores e outros órgãos da imprensa, já que não há hoje nenhuma decisão oficial sobre o assunto por parte da Procuradoria-Geral da República, de acordo com manifestação oficial do órgão desmentindo a matéria. Estranho tal equívoco na primeira página de um jornal tão tradicional como O Estado de S. Paulo, e prefiro acreditar que não existiu nenhum viés mal-intencionado no ocorrido”, diz a nota.

Também em nota à imprensa, a Procuradoria-Geral da República informa que o procurador Roberto Gurgel ainda não iniciou a análise do depoimento do publicitário Marcos Valério. A nota desmente a manchete do Estadão. “Ao contrário do que foi publicado nesta quarta-feira, 9 de janeiro, pelo jornal O Estado de S. Paulo, a Secretaria de Comunicação do Ministério Público Federal informa que o procurador-geral da República ainda não iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério, pois aguardava o término do julgamento da Ação Penal 470 (mensalão)’. Esclarece ainda que somente após a análise poder informar o que será feito com o material. Portanto, não há qualquer decisão em relação a uma possível investigação do caso”, diz a nota da PGR.

Em entrevista, o presidente da Câmara Marco Maia afirma que “é um tema exaustivamente investigado: teve uma CPI que tratou do assunto e o investigou à exaustão. Ao mesmo tempo, o STF já investigou, em várias oportunidades, se houve envolvimento do presidente Lula e isso foi completamente rechaçado”, disse ele, acrescentando que “não há fato novo que justifique a abertura de investigação contra o ex-presidente. Todas as pessoas que tinha algum tipo de envolvimento já foram investigadas e tiveram suas vidas devassadas por esse processo”.

Maia também observou que Marcos Valério está buscando criar um fato político que possa atenuar sua condição de condenado.

Com informações da Agência Brasil, Instituto Lula e PRG

Leia também