Lewandowski pede imparcialidade aos senadores no julgamento da presidenta Dilma

:: Da redação25 de agosto de 2016 14:18

Lewandowski pede imparcialidade aos senadores no julgamento da presidenta Dilma

:: Da redação25 de agosto de 2016

Com aproximadamente 30 minutos de atraso, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, iniciou a sessão que definirá o destino da presidenta eleita democraticamente, Dilma Rousseff. Em seu discurso, Lewandowski – que conduzirá o julgamento – chamou os senadores à responsabilidade para que, tanto quanto possível, deixem de lado suas opções ideológicas e inclinações pessoais e passem a analisar com isenção, objetividade e objetividade, exclusivamente, os fatos que se apresentam nos autos do processo.

De acordo com a Lei 1.079/1950 – que define os crimes de responsabilidade – nesse momento do processo, os senadores se convertem em juízes para que julguem, perante os autos do processo, os atos da presidenta da República.

Assim, o presidente do STF citou o Código de Ética da Magistratura para enfatizar que os senadores cumprirão o dever de manter uma atitude aberta e paciente ao receber alegações ou críticas, desde que lançadas de forma cortês e respeitosa, inclusive, não representando qualquer desonra confirmar ou retificar posições anteriormente assumidas nos processos em que atua.

“O juiz deve manter sempre uma atitude aberta e paciente ao receber alegações ou críticas, desde que lançadas de forma cortês e respeitosa, não representando qualquer desdouro confirmar ou retificar posições anteriormente assumidas nos processos em que atua”, salientou.

gleisi220217 8ab260768f bGleisi: está nas mãos do Senado reestabelecer a nossa democracia ou golpeá-laNo início da sessão, a senadora Gleisi Hoffmann disse que jamais imaginaria que se tornaria senadora da República para julgar a primeira mulher democraticamente eleita da história do País num julgamento, no mínimo, questionável.

“Está nas mãos do Senado reestabelecer a nossa democracia ou golpeá-la. Até aqui, nós instauramos um processo em que o rito é mais importante do que o conteúdo e, no nosso entendimento, há um golpe parlamentar em curso feito por uma maioria eventual”, lamentou.

Leia mais:

“Seguiremos lutando. Democracia é conquista permanente”, Dilma

 

Humberto Costa anuncia que vai acionar o STF contra a LDO de Temer