Lindbergh e Suplicy querem que Brasil dê asilo a Snowden

:: Da redação8 de julho de 2013 21:16

Lindbergh e Suplicy querem que Brasil dê asilo a Snowden

:: Da redação8 de julho de 2013

Lindbergh e Suplicy disseram que espionagem
viola os direitos dos cidadãos e a democracia

Os senadores Eduardo Suplicy (PT-SP) e Lindbergh Farias (PT-RJ) defenderam nesta segunda-feira (8) que o Brasil conceda asilo a Edward Snowden, ex-agente norte-americano que denunciou a violação de sigilos telefônicos e de correspondência praticada, em escala planetária pelo governo dos Estados Unidos, inclusive contra cidadãos brasileiros. “Considero adequado que o Governo brasileiro conceda asilo a Snowden, que foi a pessoa responsável pela revelação deste procedimento, que o governo norte-americano estaria tendo em relação à violação de direitos de cidadãos brasileiros”, afirmou Suplicy.

 

Ele lembrou a solidariedade sempre manifestada pelos brasileiros aos norte-americanos e aos demais países vítimas de atos de terrorismo, como no ataque ao World Trade Center, em Nova York, em 11 de setembro de 2001, mas repudiou que, para tentar prevenir ações daquela natureza, os Estados Unidos invadam e violem o direito de cidadãos em outros países, em especial, aos cidadãos do nosso País”, protestou. Suplicy destacou que a Constituição brasileira, que assegura o direito à privacidade e ao sigilo, está sendo ferida por essa política dos EUA.

 

Para Lindbergh, o que Snowden trouxe a público é o um “ato de bisbilhotagem sem precedentes” e afirmou que o Congresso Nacional tem que saber se essa atividade contou com autorização do governo norte-americano. “O Governo brasileiro precisa se posicionar em relação ao jovem Snowden, que colocou sua vida em risco teve coragem de desnudar esse esquema de espionagem”.

 

O senador fluminense destacou que um dos princípios básicos da democracia é a inviolabilidade da privacidade e do sigilo. “Vejo com frustração uma certa covardia mundial, começando pelo bloqueio ao avião do presidente Evo Morales”, cuja aeronave foi impedida de sobrevoar países europeus. Esse fato nos entristece”, afirmou Lindbergh, que exortou o Senado e o governo brasileiro a “tomar uma posição mais dura” sobre a questão. Para o senador, oferecer asilo a Snowden seria “um grande gesto”.

 

Ele anunciou, em discurso ao plenário, que vai apresentar requerimentos cobrando explicações sobre a base de espionagem norte-americana, instalada em Brasília, em 2002, e se esta obteve anuência governamental.

 

Para Eduardo Suplicy, além das providências já tomadas pela presidenta Dilma Rousseff de exigir explicações ao governo norte-americano e de determinar a abertura de investigação sobre suposta participação no esquema de empresas de telecomunicações, inclusive sediadas no Brasil, o Senado deve trabalhar para aprimorar a legislação, de forma a garantir o sigilo de dados na Internet e a atuação em esferas internacionais para assegurar a segurança cibernética. “Também é muito importante que o Congresso Nacional tenha o quanto antes também os esclarecimentos solicitados junto ao Embaixador dos Estados Unidos, Thomas Shannon, e que possa obter as informações relevantes para desvendar inteiramente esses episódios muito graves”.
 

Cyntia Campos

 

Leia mais:

Anatel dá início à fiscalização para apurar se dados foram violados

 

Dilma pede para Congresso priorizar votação do Marco Civil da Internet

Leia também