Redução da maioridade

Lindbergh critica “solução” do encarceramento de jovens

“Os jovens negros e pobres serão, novamente, os maiores penalizados com uma medida como essa", diz o senador Lindbergh
:: Rafael Noronha20 de setembro de 2017 09:15

Lindbergh critica “solução” do encarceramento de jovens

:: Rafael Noronha20 de setembro de 2017

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) volta a debater nesta semana, no Senado, a proposta de redução da maioridade penal no País. Nesta quarta-feira (18) deve ser a vez de entrar na pauta de votações a Proposta de Emenda Constitucional (PEC 33/2012) – de autoria do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

A proposta relatada pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) prevê a desconsideração da inimputabilidade penal de menores de 18 anos e maiores de 16 anos para todos os crimes hediondos previstos na Lei 8.072/1990, crimes de lesão corporal seguida de morte e reincidência em roubo qualificado. Segundo o projeto, o Ministério Público avaliará individualmente cada caso para decidir entre a aplicação da nova lei ou do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Na avaliação de Lindbergh Farias (RJ), líder do PT no Senado, esse tipo de decisão baseada na subjetividade e na singularidade de cada ato infracional – para utilizar a nova lei ou o ECA – pode ser extremamente prejudicial aos jovens negros e pobres das periferias brasileiras que não possuem recursos para pagar por uma defesa especializada que garanta a ampla defesa do jovem infrator.

Mais pobres
“Os jovens negros e pobres serão, novamente, os maiores penalizados com uma medida como essa. A política desse governo voltada ao jovem agora é menos escolas, menos educação e mais presídios e mais encarceramento. Só o orçamento da educação superior para o próximo ano sofrerá um corte de 42%. O governo retira recursos da educação e propõe o encarceramento como solução para a juventude”, critica.

A Federação Nacional dos Psicólogos (Fenapsi) divulgou, na última semana, nota de repúdio a essa nova tentativa de alteração na maioridade penal prevista na Constituição de 88. Para a organização, os parlamentares deveriam debater a efetiva aplicação do ECA ao invés de tentar ampliar de encarceramento de jovens.

“É equivocado o argumento de que não existe punição para adolescentes no País. O Brasil é cobrado, internacionalmente, por conta das dificuldades da implementação do Estatuto. Portanto, o Congresso deveria estar atuando nessa direção, de efetivação do Eca e não trabalhando para emendar a Constituição visando a redução da maioridade penal. Falar em redução da maioridade penal é contribuir com o racismo e a desigualdade social que assolam o País”, diz a nota da Fenapsi.

Juventude
Lindbergh ainda ressaltou a necessidade de se ter muito cuidado com esse tipo de discussão para que não seja criado um novo ciclo de encarceramento em massa dos jovens brasileiros sob a justificativa da busca pela redução dos índices de criminalidade praticados por menores.

“Se alguém tem a ilusão de que vai melhorar o problema da insegurança pública colocando garotos de 16 anos nos presídios, está enganado. Não devemos inverter responsabilidades. Crianças e adolescentes, em sua maioria negra e pobre, são as principais vítimas, e não perpetuadores da violência no País”, disse.

Foto: Alessandro Dantas

Mobilização
Em reunião com o senador Lindbergh, representantes dezenas de movimentos e organizações da sociedade civil prometeram engajamento nos próximos dias para que a população em geral tome conhecimento dos riscos contidos na PEC 33 e, a partir disso, pressionar os senadores que ainda estão indecisos sobre o tema. “Precisamos fazer uma campanha de conscientização e convencimento junto aos parlamentares para que eles não aprovem essa medida”, disse Renato Santos, da Fundação Abrinq.

“É fundamental a mobilização junto aos senadores nesse momento. Precisamos estar prontos para mais esse debate que se aproxima”, destacou Pétala Brandão, da Conectas Direitos Humanos.

Assista trecho do pronunciamento do senador

Leia mais:

Confira 18 razões para a não redução da maioridade penal

Leia também