Lula desafia Moro

Entregue o celular à PF e prove que mensagens são falsas

Em entrevista ao Sul21, ex-presidente rebate argumentos (ou a falta deles) do ex-juiz para tentar se livrar das evidências de que fez da Lava Jato um partido político
:: Agência PT de Notícias4 de julho de 2019 09:44

Entregue o celular à PF e prove que mensagens são falsas

:: Agência PT de Notícias4 de julho de 2019

Lula recebeu o Sul21 para uma entrevista exclusiva na manhã desta quarta-feira (3). A conversa iniciou logo e se estendeu por cerca de uma hora e quarenta e cinco minutos.

No início da entrevista, o ex-presidente estava mais interessado em falar sobre os fatos políticos mais recentes da vida política nacional, em especial o caso revelado pelo The Intercept com a revelação de mensagens envolvendo o ministro Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato.

“O Moro deveria mostrar que ele é um homem decente e entregar o celular dele à Polícia Federal. O Dallagnol também.  A Lava Jato é uma operação que se transformou num partido político” define.

 

Leia a seguir a primeira parte da conversa:

Sul21: Como o senhor, que também foi alvo de vazamento de comunicações, está avaliando esse caso (revelado pelo The Intercept) e o significado do que foi divulgado até agora?

Lula: Estamos vivendo um momento sui generis no Brasil. O Moro está se transformando em um boneco de barro. Ele vai se desmilinguir. Como Moro e a força tarefa da Lava Jato, envolvendo procuradores e delegados da Polícia Federal, inventaram uma grande mentira para tentar me colocar aqui onde estou, eles agora têm que passar a vida inteira contando dezenas e dezenas de mentiras para tentar justificar o que eles fizeram, tudo isso com muita sustentação da Globo.

A Globo faz um esforço incomensurável para manter a ideia de que os vazamentos são falsos, são obra de hackers, etc. Mas ela não se preocupou com isso quando divulgava vazamentos ilícitos que recebia do Dallagnol e do Moro. Minha família que o diga.

Agora, eles tentam passar para a sociedade a ideia de que, quem está criticando o Moro, é contra a investigação de corrupção. Temos a oportunidade de colocar esse debate em dia. Em primeiro lugar, um juiz não combate a corrupção. Quem combate a corrupção é a polícia.

O Ministério Público acusa e o juiz apenas julga. E o juiz não deve julgar com base na cara do réu, mas sim com as informações que ele tem nos autos do processo, avaliando se são verdadeiras ou mentirosas. Eu não estou falando do conjunto da Lava Jato porque se alguém roubou tem que estar preso. Foi para isso que o PT, tanto no meu governo quanto no governo da Dilma, criou todos os mecanismos jurídicos para colocar ladrão na cadeia.

Eles agora tentam salvaguardar o comportamento do Moro e da força tarefa acusando os que são contra eles de serem favoráveis à corrupção. O dado concreto aqui é que estou falando do meu caso e no meu caso eu posso olhar para você como se estivesse falando para o Moro e dizer “Moro, você é mentiroso. Dallagnol, você é mentiroso e os delegados que fizeram o inquérito são mentirosos. Eu sei que é difícil e duro falar isso. É uma briga minha, um cidadão de 73 anos de idade, contra o aparato do Estado, contra a Receita Federal, Polícia Federal, Ministério Público e uma parte do Poder Judiciário. Somente quem sabe que eu estou dizendo a verdade é o Moro, o Dallagnol, o delegado que fez o inquérito e Deus.

Leia também