Mais Médicos: primeira etapa vai levar profissionais para 626 municípios

:: Da redação2 de agosto de 2013 16:32

Mais Médicos: primeira etapa vai levar profissionais para 626 municípios

:: Da redação2 de agosto de 2013

Dos 626 municípios selecionados nesta
primeira etapa, 375 estão em regiões
com 20% ou mais de sua população
em situação de extrema pobreza

No primeiro mês de seleção, o programa Mais Médicos vai preencher 1.753 vagas de 626 municípios. Destas, 51,3% estão em áreas de maior vulnerabilidade social do interior do País e 48,6 nas periferias de capitais e regiões metropolitanas – todas as regiões contempladas são consideradas prioridades pelo programa. As informações fazem parte do balanço apresentado pelo Ministério da Saúde, nessa quinta-feira (1º).

Os médicos com registro válido no Brasil selecionados nesta fase têm até às 16 horas de sábado (3) para homologar a participação no programa e assinar o termo de compromisso, confirmando o interesse no município indicado. A lista final com profissionais e municípios que participarão desta primeira seleção será publicada na segunda-feira (5) no site do Ministério da Saúde. A próxima chamada de médicos e municípios começa no dia 15 de agosto.

Dos profissionais selecionados, 74% foram direcionados para sua primeira opção entre os seis municípios que poderia escolher por ordem de prioridade. Outros 232 ficaram com a segunda opção e os demais entre a terceira e quinta. E os médicos que não foram alocados em suas escolhas por indisponibilidade de vagas poderão ajustar suas opções, confirmando-as até segunda-feira (5).

Apenas 119 médicos, descumprindo as regras do edital, não apontaram seis possibilidades de municípios para trabalhar; por isso, só poderão retomar a participação no segundo mês de inscrições.

Como o primeiro mês de seleção teve demanda apontada por 15.460 médicos em 3.511 municípios, este resultado deve preencher apenas 11% desta expectativa, deixando 13.707 postos ociosos em 2.885 cidades.

Distribuição dos profissionais
Dos 626 municípios selecionados nesta primeira etapa, 375 estão em regiões com 20% ou mais de sua população em situação de extrema pobreza, 159 em regiões metropolitanas, 68 estão em um grupo de 100 cidades com mais de 80 mil habitantes de maior vulnerabilidade social e 24 são capitais. Na distribuição dos profissionais foram atendidos ainda 23 distritos sanitários indígenas.

Os municípios da região Nordeste foram contemplados com o maior número de médicos, com um total de 619 profissionais direcionados a 300 cidades e 1 DSEI. Em segundo lugar, vem o Sudeste, com 460 dos médicos para atender 122 municípios. Em seguida vem a região Sul, com 244 médicos em 90 municípios. A região Norte vai receber 250 médicos em 74 municípios e 17 DSEIs; e Centro-Oeste, com 180 médicos em 40 municípios e 5 DSEIs.

Os estados que receberão mais médicos serão Bahia (161), Minas Gerais (159), São Paulo (141), Ceará (138), Goiás (117), Rio Grande do Sul (107) e Amazonas (73).

A partir de terça-feira (6) até dia 8, os médicos que se formaram no exterior e finalizaram o cadastro no programa poderão selecionar os municípios com vagas não ocupadas por brasileiros. No dia 9, será publicada a lista dos municípios que receberão médicos estrangeiros.

Os médicos do programa – tanto brasileiros quanto estrangeiros – devem começar a atuar nos municípios em setembro. Todos os profissionais formados no exterior serão avaliados e supervisionados por universidades federais, de todas as regiões do país, que se inscreveram nesta primeira etapa do programa.

Com Ministério da Saúde
 

Leia mais:

Mais médicos: período de serviço no SUS contará como residência

Cidades de atuação dos novos médicos saem em 1º de agosto, diz Padilha

Leia também