Número de contratos do Fies passa de 327 mil no primeiro semestre

:: Da redação18 de julho de 2013 13:29

Número de contratos do Fies passa de 327 mil no primeiro semestre

:: Da redação18 de julho de 2013

Programa financia de 50% a 100% dos encargos educacionais.

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) formalizou mais de 327,8 mil contratos no primeiro semestre deste ano, quase 88% do total registrado em todo o ano anterior (375,7 mil). De 2010 até junho último, foram firmados 933,9 mil contratos.

Em 2013, o estado com o maior número de contratos firmados foi São Paulo (104,5 mil), seguido de Minas Gerais (37,3 mil), Bahia (21,5 mil) e Rio de Janeiro (20,6 mil). Do total de 933,9 mil contratos formalizados entre 2010 e junho deste ano, o curso mais procurado é o de Direito (92,5 mil), seguido de Administração (50,4 mil), Enfermagem (43 mil) e Engenharia Civil (41,2 mil).

O diretor de gestão de benefícios do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Antônio Corrêa Neto, atribui a maior procura por financiamentos às mudanças efetivadas em 2010, quando o FNDE passou a ser o agente operador do Fies. “Além da redução dos juros para 3,4% ao ano, houve aumento nos prazos de carência e amortização”, afirma. “A possibilidade de pedir o financiamento em qualquer época do ano também ajudou na ampliação da demanda.”

Programa
Podem requerer o financiamento estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação não gratuitos com boa conceituação no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), oferecidos por instituições de educação superior participantes do Fies. O programa financia de 50% a 100% dos encargos educacionais, de acordo com a renda familiar mensal bruta e do comprometimento dessa renda com os custos da mensalidade. Apenas alunos com renda familiar mensal de no máximo 20 salários mínimos podem pedir o financiamento.

Entre as principais mudanças, estabelecidas a partir de 2010, estão a redução dos juros para 3,4% ao ano, o aumento do prazo de carência para 18 meses, contado a partir da conclusão do curso, e a ampliação do prazo de quitação do financiamento, agora de três vezes o período financiado, acrescido de 12 meses. No caso de um curso com duração de quatro anos, por exemplo, após a carência, o aluno terá 13 anos para amortizar a dívida.

O Fies também passou a operar ininterruptamente. Ou seja, novos pedidos de financiamento podem ser apresentados em qualquer período do ano.

Os estudantes que concluíram o ensino médio a partir de 2010 devem ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em Questão

 

Leia mais:

Total de inscritos no Enem atinge recorde de 7,8 milhões

Projeto de Aníbal prevê aplicação obrigatória do Enem

Leia também