Paim: incêndio no Mercado Público “feriu de forma dura”

O local é como “um símbolo da liberdade. Todos se encontram ali, do mais simples ao mais graduado”.

:: Da redação8 de julho de 2013 20:22

Paim: incêndio no Mercado Público “feriu de forma dura”

:: Da redação8 de julho de 2013

Segundo Paim, o Corpo de Bombeiros de Porto Alegre afirmou que o Mercado Público nunca teve um plano adequado de prevenção contra incêndio. Em 2007, o estabelecimento havia recebido uma advertência para apresentar um plano.

“O coração de nossa capital foi ferido”,
afirmou o senador

O incêndio que danificou o Mercado Público de Porto Alegre (RS), no último sábado (6), “feriu de forma dura” a capital gaúcha e deixou de luto o povo do estado, lamentou o senador Paulo Paim (PT-RS), em discurso ao Plenário nesta segunda-feira (8). “O coração de nossa capital foi ferido”, afirmou o senador, destacando que o espaço consagrou-se como muito mais que um mercado, mas como “um símbolo da liberdade, da igualdade e da justiça, porque ali no Mercado Público todos se encontram, do mais simples ao mais graduado”.

O Mercado Público, “um dos pontos mais bonitos e emblemáticos do Rio Grande”, era o ponto de encontro de “negros, brancos, índios e ciganos”, independentemente de orientação social e classe social. “No espaço livre do Mercado, quantas e quantas noites ouvi ali os cantores de nosso tempo. Todos temos enorme amor pelo Mercado Público”, recordou Paim. O local tem a tradição de reunir os gaúchos antes e depois de grandes eventos políticos, como os comícios pelas Diretas Já e, as marchas das diversas edições do Fórum Social Mundial, por exemplo.

“No Mercado estava instalada a democracia. Ali, os agricultores familiares vendem sua produção, os pescadores mantêm suas bancas, ali estão os verdureiros. Ale se encontram os produtos tradicionais do Rio Grande, que não se encontram em qualquer lugar”, descreveu Paim, para quem o Mercado Público expressa a alma gaúcha, em toda sua diversidade. “Tenho certeza de que nós vamos recuperá-lo o mais rápido possível”, afirmou.

O senador agradeceu à presidenta Dilma, que, ao tomar conhecimento do incêndio, ligou para o prefeito de Porto Alegre, José Fortunatti (PDT), oferecendo ajuda para a recuperação do Mercado Público. “A presidenta, embora nascida em Minas Gerais, é gaúcha de coração”, acredita Paim — Dilma viveu muitos anos no Rio Grande do Sul, onde foi secretária municipal em Porto Alegre e secretária estadual.

Paim revelou temer especialmente os danos que possam ter sido causados pelo fogo ao Memorial do Mercado Público, espaço destinado a exposições e que abriga um vasto acervo de documentos históricos, com um banco de imagens digitalizadas, disponível para consulta, além de fotos, mapas, plantas e outras informações sobre a história do Rio Grande. “Segundo dados do próprio Memorial, nos primeiros seis meses de 2012, mais de 10 mil pessoas visitaram aquele local”, relatou o senador. No mesmo local, funciona a Livraria Ilhota, que comercializa obras de artistas locais, selecionadas pela Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre.

O senador chamou a atenção para um detalhe grave: “O Comando de Bombeiros de Porto Alegre afirmou que o Mercado Público nunca teve um plano adequado de prevenção contra incêndio”. Em 2007, o estabelecimento havia recebido uma advertência para apresentar um plano. “Parece, infelizmente, isso que ainda está em fase de elaboração”, revelou Paim. 

Leia também