Paim quer escola mais humana para combater evasão escolar

Para ele, o ambiente escolar precisar melhorar para que o aluno tenha o prazer de estar e participar.

:: Da redação15 de fevereiro de 2013 14:41

Paim quer escola mais humana para combater evasão escolar

:: Da redação15 de fevereiro de 2013

“Devemos buscar a saída pela via do
afeto e do amor e não pela autoridade”

Em discurso na tribuna do Senado na manhã desta sexta-feira (15/02), o senador Paulo Paim (PT-RS) defendeu políticas públicas que tornem o ambiente escolar mais humano e espiritualista como forma de combater a elevada evasão escolar. “A educação tradicional baseada na hierarquia distancia os jovens da ação coletiva e da sociedade, verticalizando uma relação horizontal. Devemos buscar a saída pela via do afeto e do amor e não pela autoridade”, afirmou.

Segundo Paim, aspectos como renda social, igualdade racial, escolas desconfortáveis, burocráticas, ausência de acompanhamento familiar, localização e, no caso das grandes metrópoles, a proximidade com o tráfico e ainda as frequentes transferências dos alunos de uma escola para outra formam o conjunto de fatos que causam a evasão de cerca de três milhões de estudantes.

Para o senador, por mais que o Programa Bolsa Família esteja revolucionando o Brasil pela ação inclusiva de milhares de brasileiros, o modelo escolar precisa ser aprimorado para que a escola seja um ambiente onde o aluno tenha o prazer de estar e participar. “A escola é o segredo do sucesso. Precisamos de escolas que preparem as pessoas e moldem a compreensão da realidade que é um arsenal da vida. Precisamos empreender uma luta contra o flagelo da evasão”, salientou.

Outro objetivo a ser atingido é o cumprimento, pelos diversos estados, inclusive o Rio Grande do Sul, do pagamento aos professores do piso salarial que foi aprovado pelo Senado e transformado em lei. Paim defendeu maior investimento para o setor e reconheceu as políticas públicas que o ex-senador Aloizio Mercadante (PT-SP), agora como ministro da Educação, tem adotado para que o País tenha uma educação de qualidade que seja inclusiva e seja de fato um patrimônio para o futuro.

A alternativa para evitar a evasão, na opinião de Paim, é dispor de propostas inovadoras de ensino, reavaliando o número de disciplinas e melhorando o ensino de matemática e língua portuguesa. “A nossa responsabilidade é perguntar o que é a escola, para quem ela é e qual é a escola que queremos, por mais que estamos avançando com programas relevantes como as escolas técnicas federais, ensino superior, educação no campo, cotas, Reuni, Fundeb e Brasil Alfabetizado, entre outros instrumentos fundamentais para combater a evasão escolar”, disse ele.

Lincoln, o filme
O senador Paulo Paim iniciou seu discurso destacando a importância histórica do ex-presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln – o 16º presidente norte-americano -, que liderou o país entre março de 1861 até seu assassinato em abril de 1865. O filme retrata o empenho de Lincoln em manter a unidade do país durante a Guerra Civil. Lincoln, durante seu governo e na guerra civil, lutou para aprovar uma das mais importantes emendas da constituição americana, a de número 13, que definitivamente aboliu a escravatura nos Estados Unidos.

“Todos os políticos brasileiros deveriam assistir o filme Lincoln e refletir sobre a importância política que representou a emenda da liberdade, servindo para análise, inclusive, da área da educação. A importância que teve para a humanidade a emenda que acabou com a escravidão e garantiu a liberdade”, disse Paim.

O filme Lincoln, dirigido por Steven Spielberg, retrata os últimos quatro meses da vida do ex-presidente dos Estados Unidos, baseado no livro Team of Rivals: The Political Genius of Abraham Lincoln, de Doris Kearns Goodwin.  

Marcello Antunes

Visite: http://www.abrahamlincoln.org/

Leia também