Repercussão

Parlamentares e partidos lamentam assassinato

Marielle Franco foi executada no momento em que vinha denunciando abusos de autoridade e a violência praticada contra moradores das favelas
:: Rafael Noronha15 de março de 2018 10:41

Parlamentares e partidos lamentam assassinato

:: Rafael Noronha15 de março de 2018

Diversos parlamentares e partidos políticos lamentaram o assassinato da vereadora fluminense, Marielle Franco. Ela foi assassinada na noite de ontem (14), junto com seu motorista, Anderson Gomes.

Marielle foi executada no momento em que vinha denunciando abusos de autoridade e a violência praticada contra moradores das favelas e bairros pobres do Rio de Janeiro, por parte de integrantes de um batalhão da Polícia Militar.

A vereadora era “uma jovem negra, feminista e aguerrida militante dos direitos humanos e uma voz constante na denúncia das violações sofridas pelo povo pobre e favelado do Rio de Janeiro”, resume o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ).

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), exigiu, em nome do partido, imediata e rigorosa apuração do crime que, segundo ela, “desafia abertamente a política de intervenção federal na área de segurança do Rio de Janeiro”.

A presidenta Dilma Rousseff classificou o assassinato como “um ato covarde praticado contra uma lutadora social incansável”.

“Espero que as investigações apontem os responsáveis por este crime abominável. As mortes violentas de Marielle e de Anderson precisam ser apuradas com o rigor da lei. Tristes dias para o país onde uma defensora dos direitos humanos é brutalmente assassinada”, disse.

 

Confira abaixo outras manifestações:

Leia também